Brasília Eleições: Doria retira presidente do PSDB da coordenação da campanha

Eleições: Doria retira presidente do PSDB da coordenação da campanha

Substituição ocorreu porque Bruno Araújo 'relativizou' a candidatura do ex-governador paulista, segundo informou equipe

  • Brasília | Plínio Aguiar, do R7, em Brasília

Presidente do PSDB em São Paulo, Marco Vinholi

Presidente do PSDB em São Paulo, Marco Vinholi

Divulgação/Governo do Estado de São Paulo - 27.01.2021

Em meio às divergências internas, o presidente nacional do PSDB, Bruno Araújo, foi retirado do posto de coordenador-geral da campanha do pré-candidato ao Palácio do Planalto João Doria (PSDB-SP). Quem assume o cargo, agora, é o presidente do partido em São Paulo, Marco Vinholi.

A informação foi divulgada pelo partido nesta sexta-feira (15). De acordo com a equipe de Doria, a substituição se deu porque Araújo "relativizou" a candidatura do ex-governador paulista.

Presidente do PSDB, Bruno Araújo

Presidente do PSDB, Bruno Araújo

José Cruz/Agência Brasil

"Araújo, que é presidente nacional do PSDB, havia sido convidado por Doria para a função. Mas, em recentes manifestações durante entrevistas e encontros empresariais, relativizou a candidatura de Doria — que venceu democraticamente as prévias do partido em novembro. Essa postura, considerada pouco agregadora, motivou a decisão", diz a nota.

No início deste mês, Araújo não garantiu Doria como o candidato do partido na eleição presidencial deste ano. Um dia antes, ele havia escrito uma carta em que afirmava que o paulista tinha legitimidade para concorrer ao Palácio do Planalto, mas voltou atrás.

"Na política, tem algo que vale mais do que papel e carta, que são os fatos e acontecimentos", disse. O dirigente do partido comentou que a carta dele serviu apenas como um instrumento para dar estabilidade. Araújo ainda reconheceu que Doria encontra dificuldades internas no PSDB e disse que cabe ao ex-governador trabalhar para superar essas divergências.

De acordo com o presidente nacional do partido, a candidatura do PSDB ainda vai levar tempo para ser definida, sobretudo porque a legenda negocia com o União Brasil e o MDB a construção de uma coligação para a corrida presidencial, a chamada terceira via — a promessa é chegar a um consenso até 18 de maio.

Últimas