Brasília Escalado para atuar na Bahia e em MG, Marinho entra de férias

Escalado para atuar na Bahia e em MG, Marinho entra de férias

Rogério Marinho estava em áreas atingidas por chuvas. Ministério afirmou que férias do ministro não interferem nas ações

  • Brasília | Sarah Teófilo, do R7, em Brasília

Ministro Rogério Marinho em sobrevoo sobre áreas atinginas por chuvas em MG

Ministro Rogério Marinho em sobrevoo sobre áreas atinginas por chuvas em MG

Reprodução/Twitter

Escalado pelo presidente Jair Bolsonaro para coordenar áreas atingidas pelas fortes chuvas, em especial na Bahia e em Minas Gerais, o ministro de Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, entrou de férias nesta quarta-feira (5). O ministro ficará afastado da pasta durante todo o mês de janeiro, e retorna ao trabalho no dia 4 de fevereiro. A informação foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) da última terça-feira (4).

O MDR é a pasta que comanda a Defesa Civil Nacional e que articula o desenvolvimento de ações conjuntas para atender a população afetada nesses estados, incluindo Goiás, que também tem áeras atingidas. No dia 12 dezembro do ano passado, o presidente sobrevoou regiões afetadas pelas chuvas na Bahia, mas a situação não teve melhora no estado e em Minas Gerais. No dia 27, o mandatário viajou para o litoral de Santa Catarina para tirar férias, com previsão de retorno a Brasília na última terça.

O retorno foi adiado após um quadro de obstrução intestinal, o que levou o presidente, na madrugada de segunda-feira (3), a um hospital em São Paulo, de onde teve alta nesta quarta-feira. A viagem para SC rendeu críticas ao presidente, devido ao cenário vivido pela população de estados atingidos, com pessoas mortas e milhares de desalojados. Bolsonaro, entretanto, afirmou que os ministros João Roma (Cidadania) e Rogério Marinho estavam acompanhando a situação nesses estados.

Marinho publicou em suas redes sociais, nos últimos dias, fotos viajando para áreas atingidas. Na segunda-feira, ele publicou uma foto em um helicóptero, afirmando que estava sobrevoando algumas das áreas em Minas Gerais junto com a ministra Flávia Arruda (Secretaria de Governo). "Por determinação do presidente Bolsonaro, estamos trazendo a solidariedade e a garantia que o governo federal não faltará aos municípioss e vítimas", escreveu. 

Em nota, o Ministério da Defesa garante que "o trabalho realizado pela Defesa Civil Nacional é técnico e segue protocolos preestabelecidos". A pasta afirmou que "todo o apoio fornecido às localidades afetadas pelos desastres é articulado no âmbito do Sistema Nacional de Proteção e Defesa Civil, que é constituído por órgãos e entidades da administração pública federal, dos estados, do Distrito Federal e dos municípios e por entidades públicas e privadas de atuação significativa na área de proteção e defesa civil, e coordenado pela Secretaria Nacional de Defesa Civil."

"As férias do ministro, portanto, em nada interferem ou modificam os procedimentos e atendimentos aos estados afetados", defendeu. A pasta ainda reiterou que o ministro esteve duas vezes na Bahia, no dia 12 de dezembro, com Bolsonaro, e no dia 28 do mesmo mês. Já na última segunda-feira, Marinho foi a Minas Gerais. 

"Nas três ocasiões, Marinho sobrevoou as áreas afetadas e se reuniu com governos locais para tratar das demandas de apoio para as regiões. A Defesa Civil Nacional está mobilizada e prestando todo o atendimento necessário aos municípios baianos, mineiros e outras localidades do País que necessitarem de apoio", ressaltou o ministério.

Últimas