Brasília 'Esse partido não existe mais', diz Amoêdo ao se desfiliar do Novo

'Esse partido não existe mais', diz Amoêdo ao se desfiliar do Novo

O desgaste com a sigla se intensificou no último mês, durante o segundo turno das eleições presidenciais

  • Brasília | Camila Costa, do R7, em Brasília

João Amoêdo, um dos fundadores do partido Novo, durante discurso

João Amoêdo, um dos fundadores do partido Novo, durante discurso

R7 - Arquivo

João Amoêdo se desfiliou do partido Novo nesta sexta-feira (25). O desgaste com a sigla se intensificou no último mês, durante o segundo turno das eleições. Amoêdo é fundador do Novo e ocupou a diretoria do partido até 2017, quando deixou o cargo para ser candidato à Presidência da República pela primeira vez.

"Hoje, com muito pesar, me desfilio do partido que fundei, financiei e para o qual trabalhei desde 2010. Deixo um agradecimento especial a todos que fizeram parte desse time que com dedicação, humildade e determinação transformaram em realidade o que parecia ser impossível. Infelizmente, o Novo, fundado em 2011 e pelo qual trabalhamos por mais de 10 anos, não existe mais."

Amoêdo avisou da decisão pelas redes sociais. Segundo ele, a nova gestão do partido "desconfigurou o Novo". "Se distanciou da sua concepção original de ser uma instituição inovadora que, com visão de longo prazo, sem culto a salvadores da pátria, representava a esperança de algo diferente na política", escreveu.

No segundo turno do pleito deste ano, Amoêdo declarou voto no candidato Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Apesar de ter liberado os filiados para se posicionarem como quisessem no segundo turno da eleição presidencial, a declaração de voto de Amoêdo não foi bem recebida pelo partido, que tem entre seus principais nomes apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (PL), como o governador de Minas Gerais, Romeu Zema.

"A minha saída do Novo em nada muda a vontade de ajudar o Brasil. Espero levar os aprendizados desse projeto e, junto com aqueles que conheci e que compartilham dos mesmos valores, trabalhar pelo que sempre foi meu objetivo: contribuir para melhorar a vida dos brasileiros", finalizou Amoêdo.

O empresário começou sua carreira como trainee no banco Citibank. Foi diretor-executivo do banco BBA Creditanstalt, presidente da Finaústria CFI, vice-presidente e membro do conselho de administração do Unibanco, membro do conselho de administração do Itaú BBA e membro do conselho de administração da João Fortes Engenharia.

Últimas