Brasília Flávio Dino troca indicação de Edmar Camata após polêmica por apoio à Lava Jato

Flávio Dino troca indicação de Edmar Camata após polêmica por apoio à Lava Jato

O futuro ministro da Justiça anunciou o policial rodoviário Antônio Fernando Oliveira como novo chefe da PRF para o próximo ano

  • Brasília | Luiz Calcagno , do R7, em Brasília

Flávio Dino e Marivaldo Pereira durante os anúncios no CCBB

Flávio Dino e Marivaldo Pereira durante os anúncios no CCBB

Luiz Calcagno/ R7 Brasília

O futuro ministro da Justiça, Flávio Dino (PSB), desistiu da indicação do delegado Edmar Camata para a chefia da Polícia Rodoviária Federal (PRF) por causa de apoios declarados dele à operação Lava Jato. Dino anunciou nesta quarta-feira (21) que o chefe da corporação será o policial rodoviário Antônio Fernando Oliveira. 

Dino declarou que esse não era um critério determinante, mas que a indicação gerou polêmica e poderia trazer problemas futuros. Ele disse, ainda, que Camata tinha experiência técnica para ocupar o cargo, apesar dos posicionamentos.

Além de Antônio Fernando Oliveira, o futuro ministro anunciou a professora da Fundação Getulio Vargas e fundadora do núcleo de justiça racial da fundação, Marta Machado, para a Secretaria de Política Nacional Sobre Drogas. O secretário nacional de Segurança Pública será o deputado federal Tadeu Alencar (PSB). Já o deputado federal Elias Vaz (PSB) será o secretário nacional de Assuntos Legislativos.

O coronel Nivaldo César Restivo será secretário nacional de Políticas Penais. O setor substituirá o atual Departamento Penitenciário Nacional (Depen).

Leia mais: PEC do estouro prevê distribuição de orçamento secreto entre deputados e senadores

Marivaldo Pereira foi escolhido para a Secretaria Nacional de Acesso à Justiça. Ele indicou a economista Roseli Faria para a diretoria de Promoção de Direitos do setor e o advogado Jonata Galvão para o cargo de diretor de Acesso à Justiça e Mediação de Conflitos.

Indicações

Na última sexta-feira (16), Dino já havia indicado Ricardo Cappelli como secretário-executivo — o número 2 da pasta — e Diego Galdino como adjunto da secretaria-executiva — o número 3.

No encontro, o senador eleito também anunciou o nome de Marivaldo e informou que criará um grupo no ministério para discutir direitos digitais. Marivaldo foi escolhido para a Secretaria Nacional de Acesso à Justiça, em prol dos segmentos mais vulneráveis da população.

Veja, abaixo, outros nomes anunciados por Dino:

• Tamires Sampaio: coordenadora do Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (Pronasci);

• Sheila de Carvalho: presidente do Comitê Nacional para os Refugiados (Conare) e assessora especial do ministro com ênfase em temas ligados ao combate de racismo; e

• Wadih Damous: secretário nacional do Consumidor.

Últimas