Brasília GDF: posse de novos secretários no dia 1º não inclui Anderson Torres

GDF: posse de novos secretários no dia 1º não inclui Anderson Torres

O atual ministro da Justiça e Segurança Pública volta à Secretaria de Segurança Pública do DF somente depois da posse de Lula

  • Brasília | Yuri Achcar, da Record TV

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Anderson Torres

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Anderson Torres

Tom Costa / MJSP - 31.5.2022

O governador reeleito do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), vai empossar o secretariado da segunda gestão em uma cerimônia aberta ao público no Centro de Convenções Ulysses Guimarães às 11h30 do primeiro dia do ano. O ministro da Justiça e Segurança Pública, Anderson Torres, teve o retorno à Secretaria de Segurança Pública confirmado, mas não tomará posse no evento. O desfalque foi confirmado pelo governador à reportagem.

Toda a operação de segurança que envolve a posse do presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), seguirá com o comando do atual secretário de Segurança Pública do DF, Júlio Danilo, que foi o responsável pelo planejamento do trabalho e participou de reuniões com a equipe de transição.

Em reunião no Palácio do Buriti nesta terça-feira (27) com o governador e os futuros ministros da Justiça, Flávio Dino, e da Defesa, José Múcio, Júlio Danilo detalhou o esquema de segurança montado para a posse de Lula. Anderson Torres não esteve presente, e não foi discutida a transição no comando da Secretaria de Segurança Pública do DF.

A equipe do presidente eleito tem restrições ao nome de Anderson Torres por criticar a forma de atuação do ministro da Justiça e da Segurança Pública nos recentes episódios de violência e depredação na área central de Brasília e da tentativa de explosão de uma bomba no aeroporto internacional da capital federal.

Mas Flávio Dino se comprometeu com Ibaneis Rocha a liberar Anderson Torres a reassumir o cargo no GDF. Como Torres é delegado da Polícia Federal, precisa de autorização do ministro da Justiça para ser empossado. E também pode ser convocado de volta para a corporação a qualquer momento.

O processo deve começar a tramitar ainda no dia 1º de janeiro, mas não há data para a nomeação de Torres. No Palácio do Buriti, a expectativa é que seja ainda na primeira semana do ano.

Últimas