Brasília Governo do DF aprova Hip Hop como patrimônio cultural imaterial

Governo do DF aprova Hip Hop como patrimônio cultural imaterial

Ibaneis Rocha aprovou a lei nesta quinta-feira; Semana Distrital do Hip Hop também foi aprovada 

  • Brasília | Karla Beatryz*, do R7, em Brasília

Governo do DF declara Hip Hop patrimônio público do DF

Governo do DF declara Hip Hop patrimônio público do DF

Foto: Andre Borges/Agência Brasília

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MB), sancionou nesta quinta-feira (6) a lei que declara o Hip Hop, e todas as suas manifestações artísticas, como patrimônio cultural imaterial do Distrito Federal. Com a sanção da lei, o Poder Público se torna responsável por assegurar o movimento e realizar eventos, festas, reuniões e ações de divulgação.

As escolas públicas do DF e as unidades de internação de menores infratores podem realizar atividades sobre a cultura do Hip Hop através de oficinas, debates e aulas temáticas. A Semana Distrital do Hip Hop será realizada preferencialmente no mês de novembro, no mesmo mês do Dia Mundial do Hip Hop, celebrado em 12 de novembro.

O projeto é de autoria do deputado Max Maciel (PSOL). Segundo o parlamentar, o Hip Hop, enquanto segmento cultural e musical, possui importância para a cultura do DF e atua como movimento de resistência em periferias e comunidades carentes, combatendo a criminalidade e diminuindo problemas sociais, e também desenvolve o contato artísticos.

Compartilhe esta notícia no WhatsApp
Compartilhe esta notícia no Telegram

O Hip Hop surgiu em meados de 1970, nos subúrbios negros e latinos de Nova Iorque. “O Hip Hop no discurso de orgulho da negritude, da conscientização e da superação das dificuldades, salva vida de milhares de jovens no Brasil. Reforçando a sua importância no Distrito Federal”, afirma o deputado.

Com a aprovação da lei, os artistas do Hip Hop são considerados agentes de cultura popular e, como tal, devem ter seus direitos preservados. A Secretaria de Cultura e Economia Criativa passa a monitorar as atividades do gênero.

*Sob supervisão de Fausto Carneiro.

Últimas