Brasília Ibaneis exonera servidores citados na Operação Eldorado

Ibaneis exonera servidores citados na Operação Eldorado

Secretaria de Turismo é alvo de investigação da Polícia Civil por superfaturamento em contratos de compra e prestação de serviço

  • Brasília | Luiz Calcagno, do R7, em Brasília

Bruno Lima/R7

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, exonerou servidores da Secretaria de Turismo em edição extra do Diário Oficial do DF desta quarta-feira (22). O ato que divulga as exonerações é o primeiro dos complementos do informativo. Deixaram a pasta o subsecretário de Administração, o chefe da Unidade de Administração da subsecretaria e a diretora de Compras e Logística da Unidade de Administração do órgão.

Todos ocupavam cargos de natureza especial. As mudanças ocorreram um dia depois da deflagração da Operação Eldorado, da Polícia Civil do DF. A Polícia Civil deflagrou a operação na manhã de terça (21) para investigar indícios de superfaturamento em contratos da pasta de Turismo do GDF após quatro meses de apuração. Os acordos com empresas terceirizadas determinariam a prestação de serviços em perímetros maiores do que o espaço da própria secretaria, o que aumentava o valor pago.

Os contratos eram referentes à limpeza e desinfecção de centros de atendimento a turistas (CATs), mas o espaço previsto nos contratos era 273% maior que a soma da área dos centros. O caso está a cargo da Delegacia de Repressão à Corrupção (Decor). Os processos de compra também levantaram suspeita de agentes, por serem, em 2020, até 2000% maiores do que em 2019.

Peritos da corporação vão analisar, nos próximos dias, os computadores e outros materiais recolhidos durante o cumprimento de oito mandados de busca e apreensão na terça. Agentes estiveram no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, sede da secretaria, e em outros seis endereços no Distrito Federal e mais um em Goiás (na região do Entorno). Eles foram a empresas prestadoras de serviço e até a residências de agentes públicos.

A Secretaria de Turismo vai criar uma comissão para análisar todos os processos da Diretoria de Compras e Logística desta gestão. Por meio de nota, a pasta disse que “os fatos alegados no inquérito não se harmonizam com os valores que guiam o Governo do Distrito Federal”, e que “medidas cabíveis serão tomadas de imediato”. “Todos os agentes públicos implicados nas investigações já foram afastados para melhor apuração dos fatos. Será aberta sindicância interna para apurações. Haverá revisão completa dos procedimentos de contratação da Secretaria de Turismo. Assim sendo, estão sendo resguardados o erário e a transparência”, afirma o texto.

Últimas