Brasília Ibaneis nomeia 296 agentes socioeducativos no DF

Ibaneis nomeia 296 agentes socioeducativos no DF

Ações pretendem beneficiar jovens do sistema socioeducativo. Mais de 3 mil estão internados

  • Brasília | Jéssica Moura, do R7, em Brasília

Governador Ibaneis Rocha assina nomeação de servidores no Palácio do Buriti

Governador Ibaneis Rocha assina nomeação de servidores no Palácio do Buriti

Jéssica Moura/R7

Na manhã desta segunda-feira (20), o governador Ibaneis Rocha assinou a nomeação de 296 agentes socioeducativos, aprovados no concurso de 2015. Eles estarão atrelados à secretaria de Justiça e Cidadania, e vão atuar nas unidades de internação.

"A gente vem em uma maratona de nomeações e vamos encerrar com nomeações da área da saúde", assinalou Ibaneis. "A economia do DF teve um pequeno crescimento, o que nos permitiu a contratação de novos servidores", prosseguiu. "Vejam a dificuldade, esse concurso está aí desse 2015 e só agora vocês estão sendo nomeados", finalizou.

A secretária Marcela Passamani lembrou que o prazo de vencimento do concurso foi adiado para 2022, quando os remanescentes do cadastro reserva devem ser convocados. Ela não descarta a realização de um novo concurso.

"Isso leva a melhoria no atendimento. Hoje nós temos 9 unidades de internação, totaliza quase 3 mil jovens que fazem parte do sistema. Com isso, a gente consegue trabalhar em plantões para fazer o melhor atendimento", frisou Passamani.

Programa Reniciar

Durante a cerimônia no Palácio do Buriti, o chefe do executivo também lançou o programa Reiniciar. A iniciativa concentra em um só projeto as atividades de socioeducação desenvolvidas no Distrto Federal. Com isso, os servidores terão acesso a atividades culturais esportivas e cursos profissionalizantes.

A medida também prevê a distribuição de 10,5 mil cestas básicas a 1.750 famílias de adolescentes em situação de vulnerabilidade ao longo de seis meses. Além disso, durante 12 meses, 360 jovens que saíram do sistema receberão uma bolsa de R$ 400. Eles ainda serão acompanhados pela secretaria e encaminhados a estágios e capacitação. O investimento será de R$ 1,6 milhão para evitar que os jovens retornem ao socioeducativo.

"A gente quer que eles rompam com o ciclo do ato infracional e reescrevam sua história, dando oportunidade", salientou Marcela Passamani.

Últimas