Brasília Luciano Hang defende Prevent Senior e critica CPI da Covid-19

Luciano Hang defende Prevent Senior e critica CPI da Covid-19

Para empresário, morte da mãe é usada como 'artifício político' por membros da CPI e diz ter total confiança na Prevent Senior

  • Brasília | Priscila Mendes, do R7, em Brasília

O empresário Luciano Hang, dono da rede de lojas Havan

O empresário Luciano Hang, dono da rede de lojas Havan

Reprodução/Facebook

O empresário Luciano Hang, dono das lojas Havan, afirmou que tem “total confiança” nos procedimentos adotados pela operadora de saúde Prevent Senior e que fez tudo o que era possível para salvar a vida de sua mãe, Regina Modesti Hang. Ele negou que sua mãe tenha sido submetida a tratamento preventivo contra a e disse que a morte dela tem sido usada a ataques pessoais contra ele.

"Lamento que um assunto tão delicado seja usado como artifício político para me atingir, pelo simples fato de eu não concordar com as ideias de alguns membros que fazem parte dessa CPI. Medem os outros pela própria régua. Só quem perde uma mãe sabe a dor que é", disse. 

O empresário destacou ainda que sempre deixou clara a causa da morte de Regina Hang em diversas manifestações públicas e nas redes sociais. "Ela tomava dezenas de medicamentos diariamente, por isso não fizemos tratamento preventivo, aquele realizado antes de contrair o vírus”. 

Em nota enviada ao R7, Luciano Hang disse ainda que não vai ficar calado diante das acusações. “Qual é o limite para a maldade humana, para a falta de caráter, de escrúpulos? Quando não têm argumentos, partem para o ataque da honra, da família e da própria mãe. Não vou aceitar tanta canalhice quieto.”

O empresário afirmou que assim que os sintomas de Covid-19 apareceram, a mãe foi levada rapidamente para São Paulo, mas a doença evoluiu de forma muito rápida. “Lutamos com ela por mais de um mês. Nesse tempo o Covid passou, mas ficaram as complicações por conta das comorbidades e, por isso, infelizmente ela se foi.”

Ele ressaltou as condições de saúde de Regina Hang. “Como qualquer filho, quando minha mãe ficou doente, eu fui para a guerra com todas as armas que eu tinha. É esse o meu crime? Minha mãe tinha 82 anos, fazia parte do grupo de risco, ficava em casa e mesmo assim pegou a doença. Ela era cardíaca, tinha diabetes, insuficiência renal, sobrepeso e outras comorbidades”, contou.

Últimas