Brasília Lula comenta extradição de Brennand e diz que o traria de volta 'no murro' 

Lula comenta extradição de Brennand e diz que o traria de volta 'no murro' 

O empresário é investigado pelos crimes de ameaça, estupro, lesão corporal e cárcere privado e será extraditado para o Brasil

  • Brasília | Hellen Leite, do R7, em Brasília

Thiago Brennand, empresário preso nos Emirados Árabes Unidos

Thiago Brennand, empresário preso nos Emirados Árabes Unidos

Reprodução / Record TV

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) comentou nesta quarta-feira (19) a extradição do empresário Thiago Brennand, preso nos Emirados Árabes Unidos, sob a suspeita dos crimes de ameaça, estupro, lesão corporal e cárcere privado. "A Polícia Federal vai buscá-lo nesta semana para prendê-lo aqui no Brasil. Eu estive nos Emirados Árabes nesta semana. Se eu soubesse, teria trazido ele no murro", comentou. 

A declaração ocorreu no lançamento do processo de elaboração do Plano Plurianual Participativo (PPA), programa que vai contar com a participação da sociedade para definir as metas e objetivos estratégicos do Orçamento federal para o período de 2024 a 2027. 

Brennand foi preso em Abu Dhabi, em outubro de 2022, depois que seu nome entrou na lista de procurados pela Interpol (Organização Internacional de Polícia Criminal). Ele pagou fiança e permaneceu em liberdade, sendo monitorado pela Justiça local.

Em março deste ano, a Polícia Civil de São Paulo apreendeu 70 armas de fogo que pertenciam a Brennand, em uma operação realizada em Atibaia, no interior do estado. De acordo com a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo, o armamento era ilegal, uma vez que o Exército havia suspendido o certificado de registro do empresário como CAC (caçadores, atiradores e colecionadores de armas de fogo).

Brennand vivia em um hotel com diária de até R$ 38,5 mil, sete restaurantes, spa e acesso a um clube de golfe.

Últimas