Brasília Lula quer sediar Conferência do Clima na região amazônica em 2025

Lula quer sediar Conferência do Clima na região amazônica em 2025

Em encontro na COP27, presidente eleito prometeu a governadores da Amazônia Legal que tentará trazer evento para a região

  • Brasília | Carlos Eduardo Bafutto, do R7, em Brasília

Lula recebe 'Carta da Amazônia' durante reunião na Conferência do Clima

Lula recebe 'Carta da Amazônia' durante reunião na Conferência do Clima

Ricardo Stuckert

Em sua primeira agenda na 27ª Conferência do Clima da Organização das Nações Unidas (COP27), o presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), prometeu aos governadores do Consórcio Amazônia Legal que vai pedir ao secretário-geral da ONU, António Guterres, que a COP de 2025 seja sediada na região amazônica.

No encontro, Lula recebeu dos governadores uma carta em defesa da agenda comum regional para a transição climática, que foi lida pelo governador do Pará, Helder Barbalho (MDB). O documento pede a cooperação entre os estados do consórcio e o governo federal.

"Propomos um esforço conjunto que permita maior celeridadade em acordos internacionais. Precisamos da floresta viva, capaz de prover serviços ambientais e propiciar remuneração pelos produtos e serviços por ela gerados", diz o texto.

"A saída para a adequação do Brasil pós-pandemia passa necessariamente pela Amazônia [...] O senhor tem liderança e autoridade para propor à ONU que o Brasil seja sede da COP. Além do gesto de o Brasil protagonizar a cúpula do clima, gostaria de pedir que o senhor ofereça a Amazônia para sediar a COP em 2025", pediu Helder Barbalho. 

Em resposta, Lula afirmou que é mais que justo que o governo federal tenha uma aliança com os governadores da Amazônia Legal. "Viemos aqui para dizer a vocês que vamos falar com o secretário-geral da ONU para pedir que a COP de 2025 seja recebida pelo Brasil na Amazônia. Acho muito importante que seja na Amazônia. Acho importante que as pessoas que defendem a Amazônia, que defendem o clima, conheçam aquela região", disse Lula.

Segundo o presidente eleito, a região tem dois estados aptos a receber qualquer conferência internacional: Amazonas e Pará. "Aí vocês [governadores dos estados] vão discutir quem é que tem mais a oferecer do ponto de vista de infraestrutura para receber as milhares de pessoas que vão se dirigir ao estado", afirmou. 

"Vamos fazer uma luta muito forte contra o desmatamento ilegal. Vamos cuidar e dar muito foco aos povos indígenas e vamos fazer um ministério desses povos. Vamos conversar com os governadores para fazer o que é preciso fazer na Amazônia", completou. 

Além de Lula e Helder Barbalho, participaram do encontro outros governadores do Consórcio Interestadual da Amazônia Legal, o senador Randolfe Rodrigues (REDE-AP) e secretários de Estado, que representavam os demais governadores, e outros convidados.

Últimas