Brasília 'Me sinto um presidiário sem tornozeleira eletrônica', diz Bolsonaro

'Me sinto um presidiário sem tornozeleira eletrônica', diz Bolsonaro

Presidente falava sobre como se sente diante de estar à frente do Executivo federal

  • Brasília | Carlos Eduardo Bafutto, do R7, em Brasília

Presidente Jair Bolsonaro durante evento em Cuiabá (MT)

Presidente Jair Bolsonaro durante evento em Cuiabá (MT)

Reprodução / Twitter

O presidente Jair Bolsonaro disse que se sente, "muitas vezes, um presidiário sem tornozeleira eletrônica". Ele fez a declaração em discurso durante o lançamento da Marcha para Jesus, em Cuiabá (MT), nesta terça-feira (19). Bolsonaro falava sobre a Presidência. "Não é fácil. Por melhor que seja a residência onde eu esteja, o Palácio da Alvorada, com tudo que se possa imaginar, o silêncio, a solidão são ensurdecedores", lamentou.

No início de abril, Bolsonaro disse, durante conversa com apoiadores em frente ao Palácio da Alvorada, que a vida dele "está um inferno", sem dar mais explicações ou motivos. "Se eu for tratar de política, não faço mais nada da minha vida", disse.

Nesta terça, o presidente também participou da cerimônia do Dia do Exército, com a Imposição da Ordem do Mérito Militar e da Medalha Exército Brasileiro. O evento aconteceu no Setor Militar Urbano, em Brasília. A Ordem do Mérito Militar, criada em 1934, é concedida a militares ou civis que tenham prestado serviços relevantes ao Exército.

Na ocasião, o presidente voltou a atacar a segurança das urnas eletrônicas, alfinetou chefes de outros Poderes e afirmou que as Forças Armadas têm participação na garantia da lei e da ordem. "Tenho dito que a nossa preocupação é com o cumprimento da Constituição, com o bem-estar de todos, com a paz e a harmonia. E todos sabem, presidentes Arthur Lira e Rodrigo Pacheco, que a alma da democracia repousa na tranquilidade e na transparência do sistema eleitoral", afirmou.

Últimas