Brasília Médico diz que Bolsonaro 'talvez não precise de cirurgia'

Médico diz que Bolsonaro 'talvez não precise de cirurgia'

Antônio Macedo deve chegar a São Paulo na madrugada desta terça-feira (4) para avaliar quadro clínico do chefe do Executivo

  • Brasília | Plínio Aguiar, do R7, em Brasília

O presidente Jair Bolsonaro (PL)

O presidente Jair Bolsonaro (PL)

Reprodução

O médico-cirurgião Antônio Luiz Macedo, que acompanha o presidente Jair Bolsonaro (PL) desde o atentado de 2018, afirmou ao R7 que o chefe do Executivo "talvez não precise realizar cirurgia" para corrigir o quadro de obstrução intestinal, motivo que o levou a ser internado em um hospital da capital paulista nesta segunda-feira (3).

"O presidente talvez não precise realizar cirurgia, mas isso é uma coisa que eu vou decidir quando chegar [ao hospital] e quando examiná-lo", afirmou Macedo.

O médico-cirurgião, que está nas Bahamas, deve chegar à capital paulista por volta das 2h da madrugada desta terça-feira (4). Bolsonaro deu entrada, na madrugada desta segunda-feira (3), no hospital Vila Nova Star, localizado no bairro Vila Nova Conceição, após passar mal.

O chefe do Executivo foi internado, está em tratamento e não tem previsão de alta. Ainda de acordo com boletim médico, Bolsonaro apresenta quadro de saúde estável após ter uma suboclusão intestinal, que ocorre quando o material digerido é impedido de passar pelo intestino.

O presidente divulgou nas redes sociais uma imagem da internação e informou que poderá passar por uma cirurgia. "Comecei a passar mal após o almoço de domingo. Cheguei ao hospital às 3h de hoje. Me colocaram sonda nasogástrica. Mais exames serão feitos para possível cirurgia de obstrução interna na região abdominal. É a segunda internação com os mesmos sintomas, como consequência da facada (6/set/18) e quatro grandes cirurgias", escreveu.

O chefe do Executivo já passou por seis cirurgias por causa da facada sofrida em 2018, durante a campanha eleitoral. Foram quatro no ano do atentado e duas em 2019 — para a retirada da bolsa de colostomia e correção de uma hérnia na incisão da cirurgia. A última internação do presidente foi em julho de 2021. Na época, ele ficou hospitalizado por quatro dias devido a um quadro de obstrução parcial do intestino delgado.

Últimas