Brasília Mulher é resgatada de cárcere privado após pedir socorro a amiga

Mulher é resgatada de cárcere privado após pedir socorro a amiga

O companheiro da vítima a manteve presa por quatro dias em uma distribuidora de bebidas. Ela foi agredida e estuprada

  • Brasília | Hellen Leite, do R7, em Brasília

Mulher é mantida em cárcere privado no DF

Mulher é mantida em cárcere privado no DF

PCDF/Divulgação

Uma mulher de 38 anos foi resgatada por agentes da PCDF (Polícia Civil do Distrito Federal) após passar quatro dias em cárcere privado em uma distribuidora de bebidas em Taguatinga. Ela conseguiu enviar uma mensagem de socorro a uma amiga, que acionou a polícia. Seu agressor foi detido nesta segunda-feira (14) por ameaça, estupro e lesão corporal. 

A mulher estava presa em um espaço de aproximadamente 15 metros quadrados desde sexta-feira (11), com apenas um colchão no chão e sem banheiro no local. Ela foi encontrada com diversas lesões pelo corpo. Segundo informações da polícia, o suspeito estava alterado no momento das diligências e chegou a tentar se ferir batendo com a cabeça na parede.

Leia também: Registros on-line de violência doméstica superam os presenciais

De acordo com o depoimento da vítima, o relacionamento começou em 2010 e os dois tiveram um filho juntos. Ainda durante a gravidez da companheira, o homem foi preso e ficou detido até o ano de 2016. Na época, ele tentou aproximação por meio de mensagens, mas a mulher disse não ter mais interesse no relacionamento. Só em setembro de 2021, após promessas de mudança, os dois reataram a relação. 

Em novembro, disse a vítima, o homem começou a apresentar comportamentos agressivos por causa do uso de drogas. Ela contou à polícia que na última quinta-feira (10) estava em um aniversário na companhia de uma amiga quando começou a receber ligações dele.

Ao se encontrarem, os dois foram para um hotel, onde o suspeito usou crack e ficou cada vez mais agressivo. Quando ele saiu para comprar mais drogas, a vítima ligou para a polícia e pediu medidas protetivas, mas não representou contra o homem por medo de prejudicá-lo.

Leia também: Programa acolhe mulheres em situação de violência doméstica

Na sexta-feira (11), a mulher saiu da delegacia direto para o trabalho, mas, antes do fim do expediente, ele a esperava na saída. A vítima foi coagida a ir até uma distribuidora de bebidas que pertence à família do suspeito e, depois, à casa dele.

Mulher era ameaçada com faca

Mulher era ameaçada com faca

PCDF/Divulgação

Lá, ela entregou o dinheiro que o agressor pegou na distribuidora à mãe dele, para evitar que ele comprasse mais drogas. Depois de descobrir isso, o acusado a agrediu com socos, enforcou-a e a obrigou a ficar com ele na distribuidora o tempo todo. Durante os quatro dias de cárcere, o homem bateu na vítima e a estuprou várias vezes.

A mulher aproveitou um momento de descuido dele para enviar mensagem a uma amiga pedindo ajuda. Essa amiga acionou a 8ª Delegacia de Polícia (SIA). Ao ser resgatada, a vítima estava com lesões no rosto e no pescoço. O autor foi autuado em flagrante.

Últimas