Brasília Nenhuma criança ou adolescente morreu por causa da vacina contra Covid, diz Ministério da Saúde

Nenhuma criança ou adolescente morreu por causa da vacina contra Covid, diz Ministério da Saúde

Pasta descartou que 38 óbitos classificados como decorrentes de eventos adversos graves tenham relação com imunização

  • Brasília | Sarah Teófilo, do R7, em Brasília

Vacinação de crianças contra a Covid-19

Vacinação de crianças contra a Covid-19

José Cruz/Agência Brasil

Um boletim do Ministério da Saúde informou que até o momento não há registro de nenhuma morte de crianças ou adolescentes menores de 18 anos em decorrência das vacinas contra a Covid-19. A pasta investigou 38 óbitos classificados pelas vigilâncias como decorrentes de eventos adversos graves, descartando qualquer relação com o imunizante.

"Até o momento, não há registro de EAPV [Evento Adverso Pós-Vacinação] com desfecho óbito na faixa etária de 5 a menores de 18 anos com relação causal com as vacinas utilizadas confirmada", anunciou boletim. Atualmente, a vacinação contra a Covid-19 no Brasil é indicada para a população a partir de 5 anos.

A pasta informou que entre a terceira semana de janeiro do ano passado e março deste ano foram registrados 3.463 casos de eventos adversos pós-vacinação em crianças e adolescentes de 5 a 17 anos. Desse total, 38 foram classificados como "eventos adversos graves com desfecho óbito", 36 deles relacionados ao imunizante da Pfizer.

"Como qualquer medicamento, vacinas podem causar eventos adversos, sendo a maioria deles sem gravidade. É importante destacar, no entanto, que EAPV é qualquer ocorrência médica indesejada temporalmente associada à vacinação, não possuindo necessariamente uma relação causal com o uso de uma vacina ou outro imunobiológico", explicou  a pasta.

Enquanto não há registro de crianças ou adolescentes que tenham morrido em decorrência da vacina, o boletim do ministério informou que até 16 de abril deste ano foram notificados 2.927 casos suspeitos da SIM-P (Síndrome Inflamatória Multissistêmica Pediátrica) associada à Covid-19 em crianças e adolescentes de 0 a 19 anos. Desses, 1.703 foram confirmados para SIM-P e 294 (9,5%) seguem em investigação. Dos casos confirmados, 113 evoluíram para óbito.

A referida síndrome, identificada em abril de 2020 no Reino Unido, é uma inflamação grave que atinge diversos órgãos. O quadro se apresenta por um amplo rol de sintomas em crianças e adolescentes que já foram infectadas pela Covid-19. As pessoas dessa faixa etária apresentam sinais como febre, vômito e até insuficiência respiratória.

Últimas