Brasília ‘Ninguém defende vacina mais do que eu’, diz Queiroga após polêmica

‘Ninguém defende vacina mais do que eu’, diz Queiroga após polêmica

Durante a semana, ministro disse que era ‘melhor perder a vida do que perder a liberdade’, ao criticar passaporte de vacinação

  • Brasília | Augusto Fernandes, do R7, em Brasília

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga

José Cruz/Agência Brasil - 20.10.2021

Nesta sexta-feira (10), o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse que ninguém no país defende a importância das vacinas contra a Covid-19 mais do que ele, e garantiu ter distribuído mais doses de imunizantes contra a doença do que qualquer outro ministro da Saúde no mundo.

“Eu tenho trabalhado fortemente aqui no ministério, desde que cheguei, recebendo as recomendações do presidente Jair Bolsonaro para controlar a pandemia. Os resultados estão aí. Qualquer um pode ver. Ninguém defende a vacina mais do que eu. Aliás, eu sou um dos ministros que mais vacinas distribuíram no mundo”, afirmou o ministro, em entrevista à imprensa.

Na última terça-feira (7), Queiroga chegou a dizer que “é melhor perder a vida do que perder a liberdade”, ao reclamar da exigência do “passaporte da vacina” a estrangeiros de passagem pelo Brasil. Apesar da fala, o ministro negou que seja contra a vacina e culpou a imprensa pela repercussão negativa da declaração.

“Eu falei contra [a vacina]? Isso é da interpretação de vocês [jornalistas]. Peguem minha fala e vocês vão ver minha fala. Falei que a OMS [Organização Mundial da Saúde] entendia que não era razoável discriminar as pessoas vacinadas ou não vacinadas. Essas interpretações são feitas por vocês. Não por mim”, ponderou Queiroga.

“Vamos parar com essas polêmicas, pessoal. Vamos avançar. Vamos ver os resultados que nós temos aqui no Brasil. Nossa campanha de vacinação é uma das mais reconhecidas no mundo. São fatos. Não há questionamentos acerca disso. Vamos dizer a verdade às pessoas. A verdade que liberta”, completou o ministro, encerrando a entrevista na sequência.

Últimas