Eleições 2022

Brasília Onyx lidera em dois cenários para o Governo do Rio Grande do Sul

Onyx lidera em dois cenários para o Governo do Rio Grande do Sul

Ex-ministro de Bolsonaro só não fica em primeiro em cenário em que o ex-governador Eduardo Leite (PSDB) aparece como candidato

  • Brasília | Augusto Fernandes, do R7, em Brasília

Onyx Lorenzoni, pré-candidato ao Governo do Rio Grande do Sul pelo PL

Onyx Lorenzoni, pré-candidato ao Governo do Rio Grande do Sul pelo PL

Neila Rocha/ASCOM/SEAPC/MCTI - 18.11.2020

O ex-ministro Onyx Lorenzoni (PL) aparece à frente em dois cenários da corrida eleitoral para o Governo do Rio Grande do Sul, de acordo com pesquisa divulgada nesta sexta-feira (27) pelo Real Time Big Data e contratada pela Record TV. Segundo o instituto, nos levantamentos em que o ex-governador gaúcho Eduardo Leite (PSDB) não é colocado como candidato, Onyx lidera com folga, com mais de 15 pontos percentuais de vantagem sobre o segundo colocado.

A pesquisa fez três projeções estimuladas, nas quais uma lista com os concorrentes ao cargo é apresentada aos entrevistados. Em uma delas, Onyx tem 23% das intenções de voto. Em segundo estão o deputado estadual Edegar Pretto (PT) e o atual governador, Ranolfo Vieira Júnior (PSDB), ambos com 7%.

Na sequência, três candidatos aparecem com 6%: Beto Albuquerque (PSB), Pedro Ruas (PSOL) e o senador Luiz Carlos Heinze (PP). Os três estão tecnicamente empatados com Edegar Pretto e Ranolfo Vieira Júnior, visto que a margem de erro da pesquisa é de 3 pontos percentuais, para mais ou para menos.

Completam o primeiro cenário Vieira da Cunha (PDT), com 3% dos votos; Gabriel Souza (MDB), com 2%; Roberto Argenta (PSC), com 1%; e Ricardo Jobim (Novo) e Marco Della Nina (Patriota), com 0%.

Sem Heinze e Albuquerque, Onyx tem liderança ainda maior

Em outro cenário, sem os nomes de Luiz Carlos Heinze e Beto Albuquerque, Onyx lidera com 27%. O segundo é Edegar Pretto, com 8%. Na terceira colocação aparece Pedro Ruas, com 7%. Em quarto lugar está Ranolfo Vieira Júnior, com 6%. Há um empate técnico entre os três.

Depois deles aparecem Vieira da Cunha, com 3%; Roberto Argenta e Gabriel Souza, com 2% cada um; e Ricardo Jobim e Marco Della Nina, novamente com 0%.

Leite e Onyx têm empate técnico

Considerando a candidatura de Leite, a situação para o Governo do Rio Grande do Sul muda. O ex-governador fica à frente, com 23% das intenções de voto. Contudo, ele empata tecnicamente com Onyx, que tem 20%.

O terceiro nesse cenário é Edegar Pretto, com 6%. Em quarto aparece Beto Albuquerque, com 5%. Na sequência figuram Luis Carlos Heinze e Pedro Ruas, ambos com 4%.

Completam a lista Vieira da Cunha, com 2%; Roberto Argenta e Gabriel Souza, com 1%; e Ricardo Jobim e Marco Della Nina, mais uma vez com 0%.

O Real Time Big Data fez o levantamento entre quarta (25) e quinta-feira (26), e ouviu 1.500 eleitores gaúchos. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o protocolo RS-02422/2022. O índice de confiança é de 95%.

Mourão e D'Ávila empatam na corrida para o Senado

Outra pesquisa feita pelo instituto foi sobre as intenções de voto para o Senado. Nos dois cenários elaborados, a ex-deputada federal Manuela d'Ávila (PCdoB) e o vice-presidente da República, Hamilton Mourão (Republicanos), estão empatados na primeira colocação.

No primeiro, os dois têm 22% dos votos. Na sequência aparecem Ana Amélia Lemos (PP) e José Ivo Sartori (MDB), com 11%. Depois figuram Lasier Martins (Podemos), com 6%, e Nelson Marchezan Junior, com 5%.

No segundo cenário, sem o nome de Marchezan e considerando a candidatura de Eduardo Leite, o líder é Mourão, com 21% dos votos. Em segundo está Manuela d'Ávila, com 20%. Leite é o terceiro, com 17%. Os três estão tecnicamente empatados.

Completam a lista José Ivo Sartori, com 10%; Ana Amélia Lemos, com 9%; e Lasier Martins, com 6%.

Últimas