Brasília Pacheco diz que Petrobras pertence ao povo e precisa dar contribuição

Pacheco diz que Petrobras pertence ao povo e precisa dar contribuição

"O papel da Petrobras enquanto empresa que deve cumprir uma função social também é fundamental", disse presidente do Senado

  • Brasília | Sarah Teófilo, do R7, em Brasília

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, comentou a alta no preço dos combustíveis

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, comentou a alta no preço dos combustíveis

Edilson Rodrigues/Agência Senado - 16.09.2021

Ao falar sobre a discussão em relação à alta no preço dos combustíveis, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), criticou nesta terça-feira (5) a Petrobras, cobrando da empresa que ela deve cumprir uma "função social". "A Petrobras pertence ao povo brasileiro e precisa dar a sua contrapartida de contribuição para a solução do problema dos combustíveis. Então, o papel da Petrobras enquanto uma empresa que deve cumprir uma função social também é fundamental", disse.

As falas do senador ocorreram em entrevista após apresentação do parecer do relator Roberto Rocha (PSDB-MA) da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) da reforma tributária. Pacheco foi questionado sobre como fica a discussão em relação ao preço dos combustíveis, tendo em vista que a reforma também envolve o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).

"Na verdade, o problema dos combustiveis tem índole tributária, mas também tem outros aspectos que são importantes. Quando se tem uma pressão muito forte sobre o real, há uma desvalorização da nossa moeda. Houve uma desvalorização do real em frente ao dólar da ordem de 30% só em 2020, e isso é muito impactante e significativo; isso pressiona o preço do combustível", disse.

O senaddor, então, ressaltou que tem invocado a importância do papel da Petrobras nessa discussão e solução. Após frisar a função social da estatal, Pacheco disse que há, sem dúvida, uma discussão tributária. "E há propostas nesse sentido, inclusive uma proposta já distribuída para a Câmara dos Deputatdos, de autoria do Executivo, que é da unificação das alíquotas de ICMS relativamente a combustíveis, inclusive em valores absolutos", pontuou.

Pacheco afirmou que é importante que o Congresso tenha respostas efetivas para conter o aumento dos combustíveis, e que seja uma redução adequada à sociedade brasileira. "O Senado tem absoluto compromisso com a solução dos problemas do país, inclusive em colaboração com as boas ideias do governo federal. Obviamente que nós aguardamos uma política do governo federal que seja assertiva, de medidas concretas em relação à fome, à miséria, especialmente em relação ao programa Bolsa Família, ou qualquer nome que se queira dar a ele, mas um programa social robusto que possa atender em termos de valores e em termos de inclusão daqueles que estão hoje fora, para poder socorrer essas pessoas em razão de fome e de miséria", frisou.

Últimas