Brasília PF realiza operação contra grupo suspeito de invadir sites do governo

PF realiza operação contra grupo suspeito de invadir sites do governo

Inquérito foi instaurado depois de um ataque cibernético que tirou do ar o site do Ministério da Saúde em dezembro de 2021

  • Brasília | Carlos Eduardo Bafutto, do R7, em Brasília

Viaturas da Polícia Federal em operação

Viaturas da Polícia Federal em operação

Reprodução / Polícia Federal

A Polícia Federal deflagrou nesta terça-feira (16) a Operação Dark Cloud, que faz parte da investigação sobre os ataques cibernéticos contra o governo federal. Os agentes estão cumprindo oito mandados de busca e apreensão contra um grupo suspeito de invadir sistemas do Ministério da Saúde e de outros órgãos do governo.

O inquérito foi instaurado em dezembro de 2021, quando ocorreu um ataque cibernético à página do ConecteSUS. Na época, a pasta informou que a invasão comprometeu o "Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunização (SI-PNI), o ConecteSUS e funcionalidades como a emissão do Certificado Nacional de Vacinação Covid-19 e da Carteira Nacional de Vacinação Digital."

O tipo de ataque que o site do Ministério sofreu é chamado Ransomware, em que o invasor insere um código malicioso tornando os dados inacessíveis, geralmente usando criptografia.

Mandados de busca e apreensão

Segundo a PF, os mandados de busca e apreensão estão sendo cumpridos na Paraíba, em Minas Gerais, no Paraná e em Santa Catarina. "As ordens judiciais foram expedidas pelo Juízo da 12ª Vara da Justiça Federal no Distrito Federal, após representação efetuada pela Polícia Federal no bojo das investigações," diz a corporação.

De acordo com o inquérito, os ataques foram realizados por uma organização criminosa internacional dedicada a crimes cibernéticos, visando entidades públicas e de capital privado no Brasil, nos Estados Unidos, em Portugal e na Colômbia.

Além dos ataques à pasta, houve invasões aos seguintes órgãos: Controladoria-Geral da União (CGU), Ministério da Economia, Instituto Federal do Paraná (IFPR), Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA), Escola Nacional de Administração Pública (Enap), Agência Nacional de Transporte Terrestre (ANTT), Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro, Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e da Fundação de Previdência Complementar do Servidor Público Federal e Polícia Rodoviária Federal (PRF).

A Polícia Federal apura os crimes de organização criminosa, invasão de dispositivo informático, interrupção ou perturbação de serviço telegráfico, radiotelegráfico ou telefônico, impedir ou dificultar-lhe o restabelecimento, corrupção de menores, com previsão no Estatuto da Criança e do Adolescente, e lavagem de capitais.

Últimas