Brasília Polícia acha cães e gatos mortos armazenados em freezer no DF

Polícia acha cães e gatos mortos armazenados em freezer no DF

Suspeito é servidor público do Tribunal de Contas da União e mantém mais de 230 animais em uma chácara, em Brazlândia

  • Brasília | Jéssica Moura, do R7, em Brasília

Animais são submetidos à alimentação escassa e a ambiente insalubre

Animais são submetidos à alimentação escassa e a ambiente insalubre

Reprodução

A Polícia Civil investiga denúncias de um tratador de animais contra o dono de um abrigo onde cães e gatos mortos foram armazenados em um freezer. Durante uma perícia nessa terça-feira (17) a PCDF localizou ossadas dentro de sacos plásticos. Há ainda cerca de 230 animais na chácara, em Brazlândia, Distrito Federal.

A apuração começou em março, depois que um cuidador voluntário fez uma denúncia. O homem, que é ligado a uma ONG voltada pà causa animal, relatou que, no dia 10 daquele mês, foi até a chácara acompanhado de dois ajudantes para tratar dos cachorros abrigados no local, retirar os animais doentes e limpar os canis.

Dois dias depois, voltaram à propriedade, mas foram impedidos de continuar o serviço pelo próprio dono do lugar. No entanto, no dia seguite, o proprietário da área procurou o voluntário na casa dele e reclamou que os animais estavam sem alimentação e o espaço, sem limpeza. O rapaz retrucou que isso não era responsabilidade dele e que foi o interlocutor que o impediu de entrar.

O denunciante afirmou ainda que, depois da discussão, o dono da chácara foi até uma das lojas parceiras da ONG e tentou retirar sacas de ração sem autorização. Depois, o chacareiro ainda mandou mensagens ao homem tentando responsabilizá-lo pela falta de cuidados com os bichos.

Aos policiais, o rapaz informou que o homem mantinha cães e gatos mortos em duas geladeiras na propriedade, pois teria se recusado a enterrá-los. Dois meses após esses episódios, a esposa do dono da chácara procurou o cuidador e pediu ajuda para tratar dos bichos que estão no local, muitos deles doentes.

Ela teria dito que não tem como arcar com o tratamento para todos eles e que, após passar mal, o marido está internado. O homem, idoso, é servidor público, lotado no Tribunal de Contas da União.

LEIA TAMBÉM: Zoológico de Brasília auxilia na recuperação de animais feridos

A advogada Ana Paula Vasconcelos, do Fórum Animal, acompanha a situação. Ela explicou que há queixas de maus-tratos contra o dono do abrigo há mais de 10 anos. "É uma situação antiga, mas temos dificuldade de obter provas, porque a pessoa responsável pelo abrigo restringiu muito a entrada", disse.

Desde então, voluntário ligados a ONGs tentam ir à chácara para ajudar nos cuidados com os bichos. No entanto, os animais são recorrentemente deixados sozinhos, sem água ou comida. "Ele não aceita que nenhum animal seja retirado de lá. Tem uma situação de acumulação muito complicada", acrescenta Ana Paula.

Ela afirma ainda que as ONGs pretendem pleitear na Justiça a remoção dos animais e a interdição do abrigo. "É uma patologia, mas a gente não pode vitimizar, porque é um crime. Se ele exerce funções na vida cível, tem capacidade para responder", assinalou.

Últimas