Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Brasília
Publicidade

Policial legislativo do Senado posa para foto durante invasão do Congresso

Uniformizado, Wallace França aparece em uma imagem com manifestante; cursinho o afastou de função como professor

Brasília|Bruna Lima, do R7, em Brasília


Policial legislativo posta foto sorrindo durante invasão do Congresso
Policial legislativo posta foto sorrindo durante invasão do Congresso

O policial legislativo do Senado Wallace França viralizou nas redes sociais ao ter uma foto divulgada, neste domingo (8), durante a invasão do Congresso Nacional. Uniformizado, o servidor sorri no registro, ao lado de uma manifestante extremista, enquanto o prédio era depredado pelos vândalos. 

Além de policial, França é professor de cursinho para concursos públicos e dá aulas de Ética no Serviço Público, noções de Administração Pública e Direito Penal. Ele é ex-delegado de polícia do Mato Grosso do Sul, ex-agente penitenciário federal, ex-cadete aviador da Aeronáutica. 

Após a foto ser divulgada, uma página profissional do policial serviu como canal para críticas. Nos comentários, internautas pedem a prisão do professor, perda do cargo público e criticam o episódio. 

O R7 acionou o Senado Federal. A Polícia Legislativa apura o caso, mas não divulgou um posicionamento. A reportagem entrou em contato com a Secretaria de Comunicação da Casa e aguarda resposta. 

Publicidade

O Gran Cursos Onlin, empresa para a qual França dava aulas, afastou o professor em meio às investigações. "Não temos mais informações além da referida foto. Porém, por transparência aos nossos alunos e seguidores, esclarecemos que o Gran jamais apoiaria qualquer ato criminoso, como o de destruição de patrimônio público, independentemente de qualquer matriz ideológica", esclareceu o presidente do cursinho, Gabriel Granjeiro. 

Invasões

Vídeos publicados nas redes sociais mostram o momento em que os manifestantes subiram a rampa do Congresso Nacional e invadiram a parte superior, onde ficam as cúpulas do Senado Federal e da Câmara dos Deputados, além do Salão Verde, localizado dentro do edifício.

Publicidade

Depois, o grupo tentou invadir, com sucesso, o Palácio do Planalto, sede da Presidência da República, local onde o presidente da República despacha, em Brasília.

Manifestantes invadiram, ainda, o edifício do STF. No local, vidros foram quebrados e objetos, destruídos nas dependências da Corte. Imagens divulgadas nas redes sociais mostram inicialmente que a porta do armário que o ministro Alexandre de Moraes utiliza para guardar a toga foi arrancada.

Publicidade

No início da madrugada de segunda (9), o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes afastou o governador do DF, Ibaneis Rocha (MDB), do cargo por, pelo menos, 90 dias e deu o prazo de 24 horas para que os acampamentos dos manifestantes sejam desmontados. Nesta segunda (9), a Polícia Militar do DF (PMDF) foi enviada ao Quartel-General do Exército e os manifestantes começaram a ser retirados do local.

O presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, decretou intervenção federal na segurança do DF. Ainda nesta segunda, o Congresso Nacional se reunirá para votar o decreto.

A vice-governadora, Celina Leão (PP), assumiu o Governo do DF e o presidente da Câmara Legislativa do DF, Wellington Luiz (MDB), afirmou que convocará sessão extraordinária para discutir o afastamento do governador e os atos antidemocráticos.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.