Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Brasília
Publicidade

Quadro de saúde de brasileiros feridos no Líbano é estável, diz Itamaraty

Três pessoas foram vítimas de um ataque na cidade de Saddikine, no sul do país, no último final de semana

Brasília|Plínio Aguiar, do R7, em Brasília

Brasileira e dois filhos atingidos por explosão no Líbano permanecem internados Brasileira e dois filhos atingidos por explosão no Líbano permanecem internados

Funcionários do Ministério das Relações Exteriores foram informados de que o estado de saúde dos brasileiros feridos em um ataque no Líbano é estável. Como mostrou o R7, a equipe do Itamaraty dialoga frequentemente com a equipe médica responsável pelas vítimas, internadas no Hospital Libanês Italiano, em Tiro, no sul do país.

Leia mais

No último sábado (1º), três brasileiros ficaram gravemente feridos após um suposto ataque a bombas de Israel contra o Líbano em retaliação ao grupo terrorista Hezbollah devido à derrubada de um drone israelense. O Hezbollah teria reivindicado a autoria do incidente. Imagens compartilhadas nas redes sociais mostram o momento em que um suposto drone israelense modelo Hermes 900 foi derrubado.

Segundo informações, as vítimas são uma mulher de 30 anos e seus dois filhos — uma menina de 10 anos e um menino, de 9. Desde o episódio, o Itamaraty mantém contato com o governo libanês e com a equipe médica. Uma das sugestões avaliadas anteriormente era de um possível retorno ao país dos brasileiros. No momento, ainda não há decisão sobre a medida.

O hospital em que se encontra a família de brasileiros é um dos signatários da ONU (Organização das Nações Unidas).

Publicidade

Governo brasileiro fala em indignação

Em nota, o Itamaraty condenou o bombardeio e informou que a Embaixada do Brasil em Beirute está em contato com os familiares e com a equipe médica para prestar apoio consular.

“O Governo brasileiro manifesta sua indignação e condena o bombardeio de ontem, dia 1°, em Saddikine, no Sul do Líbano. O episódio ocorreu no contexto de ataques das forças armadas israelenses no Sul do Líbano e do Hezbollah no Norte de Israel. Desde o início do conflito entre Israel e Palestina, a Embaixada em Beirute monitora e mantém contato regular com os brasileiros residentes no Sul do Líbano”, diz a nota do MRE (Ministério das Relações Exteriores).

No comunicado, o Itamaraty afirma que o Brasil pede às partes envolvidas nas hostilidades a cessar o conflito e exige “respeito aos direitos humanos e ao direito humanitário, de forma que se previna o alastramento do conflito em Gaza e se evitem novas vítimas civis inocentes”.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.