Brasília Relator da CPI inclui suposto lobista na lista de investigados

Relator da CPI inclui suposto lobista na lista de investigados

Marconny Albernaz nega ser lobista da Precisa Medicamentos, mas se recusou a falar quantas vezes esteve na empresa

  • Brasília | Sarah Teófilo, do R7, em Brasília

Em pronunciamento, empresário Marconny Albernaz, apontado como lobista da Precisa

Em pronunciamento, empresário Marconny Albernaz, apontado como lobista da Precisa

Roque de Sá/Agência Senado - 15.09.2021

O relator da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19, Renan Calheiros (MDB-AL), anunciou a inclusão do empresário Marconny Albernaz, apontado como lobista da empresa Precisa Medicamentos, na lista de investigados pela comissão. Com ele, agora a lista tem 30 pessoas, dentre elas o ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello e o líder do governo na Câmara dos Deputados, Ricardo Barros (PP-PR).

A Precisa Medicamentos fechou um contrato com o ministério para venda de 20 milhões de doses da vacina contra covid-19 Covaxin, do laboratório indiano Bharat Biotech, por R$ 1,6 bilhão. Após as apurações da CPI, o contrato foi cancelado. Marconny prestou depoimento à comissão nesta quarta-feira (15/8), ocasião em que negou ser lobista, mas admitiu ter sido sondado para assessorar a Precisa em uma licitação que tinha como objetivo a aquisição de testes rápidos.

O empresário afirmou que possui uma empresa que atua com assessoria política na área privada, tendo parlamentares entre clientes. Ele disse que não poderia dizer os nomes, alegando cláusula de sigilo, e usou a prerrogativa de permanecer em silêncio para não se autoincriminar quando perguntado sobre quantas vezes foi à Precisa.

Últimas