Brasília 'Resiliente e aguenta a pressão', diz Mourão sobre presidente da Petrobras

'Resiliente e aguenta a pressão', diz Mourão sobre presidente da Petrobras

Vice afirma que governo busca soluções no Congresso para conter alta de combustíveis, como zerar o PIS/Cofins da gasolina

  • Brasília | Priscila Mendes, do R7, em Brasília

Mourão diz que governo está buscando soluções para conter alta da gasolina

Mourão diz que governo está buscando soluções para conter alta da gasolina

Marcelo Camargo/Agência Brasil - 24.11.2021

Após duras críticas do presidente Jair Bolsonaro à política de preços da Petrobras, o vice-presidente Hamilton Mourão afirmou, nesta segunda-feira (14), que o presidente da estatal, general Joaquim Silva e Luna, vai se manter firme diante da pressão para sair do cargo. "Ele é resiliente, sempre foi. Como bom nordestino, ele aguenta a pressão."

Para conter a alta da gasolina, Mourão ressaltou que o governo está procurando soluções com o Congresso Nacional. Entre elas estão a mudança no cálculo do ICMS sobre o combustível, a questão do fundo de estabilização e até mesmo a redução do PIS/Cofins a zero.

"São soluções que estão sendo buscadas em um momento difícil do mundo. Uma vez solucionada a situação de conflito entre a Rússia e a Ucrânia, a tendência é que o preço volte aos níveis anteriores", defende. 

Visita ao Chile

Sobre a viagem para participar da posse do presidente eleito do Chile, Gabriel Boric, Hamilton Mourão disse que a visita foi produtiva. O vice-presidente participou de reuniões com empresários dos dois países para tratar de assuntos bilaterais, como o corredor de ligação com a Ásia, o combate ao narcotráfico e a migração ilegal. 

"Ele [Gabriel Boric] é um cara muito novo, mas está consciente da situação que vai enfrentar. É uma mudança radical em termos de fazer política no Chile, como sempre houve uma alternância entre esquerda e direita, com gente mais experiente, vamos dizer assim, ou com mais idade. Um momento novo para o Chile, e acho que a população está entusiasmada", avaliou Mourão. 

Últimas