Brasília Vídeo: em briga de trânsito no DF, homem sobe em capô de carro

Vídeo: em briga de trânsito no DF, homem sobe em capô de carro

Para-brisa do carro foi quebrado em confusão. Mulher prestou queixa contra homem também por xingamentos racistas

  • Brasília | Jéssica Moura, do R7, em Brasília

Mulher teve carro quebrado por homem que se irritou após arranhão na lataria

Mulher teve carro quebrado por homem que se irritou após arranhão na lataria

Arquivo Pessoal

Uma briga de trânsito acabou na delegacia na manhã deste domingo (24) na região de Taguatinga, no Distrito Federal. A discussão foi gravada por tertemunhas. Um homem teria se irritado com um arranhão na lataria do carro provocado por uma leve colisão, perseguiu a motorista que teria causado a batida, danificou o carro dela e teria feito xingamentos racistas. 

Segundo a personal trainer Paula Paiva, 25 anos, ela parou em um posto de gasolina na avenida Hélio Prates para encher os pneus do carro. Ao dar ré para deixar o estabelecimento, acabou atingindo o veículo que estava logo atrás. A personal relatou que apenas arranhou a lataria do outro automóvel. Ela teria conversado com o condutor, passado o número de celular dela e prometido arcar com o prejuízo.

"Ele me seguiu, parou no sinal vermelho atrás de mim e começou a puxar meu braço", relata a jovem. "A primeira atitute dele foi puxar a chave da ignição e não deixei", lembra Paula. Dentro do carro estavam ainda a mãe e duas irmãs de Paula, uma delas uma criança. Além das agressões, Paula diz que foi xingada pelo homem. "Ele foi racista. Chamou de preta safada, eu estava com a minha família. Chamou de noiada", afirmou. 

Pelas imagens registradas por testemunhas, depois dessas agressões, o homem subiu sobre o capô do carro e começou a pular sobre a lataria. "Foi muito rápido, ele estava zangado", diz Paula. Depois, pisa sobre o para-brisa e quebra o vidro. "Foram ameaças, agressões, só porque só tinha mulher no carro", acredita Paula.

A mulher contou ainda que a compra do carro foi recente, há apenas cinco meses. "Foi devastador para mim, era uma coisa que sonhava muito em ter e ele acabou com isso", lamenta. Agora, o caso é investigado pela 12ª Delegacia de Polícia (Taguatinga) como lesão corporal, injúria racial e dano. 

Segundo a corporação, eles representaram um contra o outro e foram encaminhados ao Instituto Médico Legal (IML) para exame de corpo de delito. O carro da mulher vai passar por perícia. 

O R7 ainda não conseguiu contato com o homem que aparece nas imagens.

Últimas