Brasília Vídeo: homem é resgatado pelos Bombeiros após dormir no topo de antena de telefonia celular no DF

Vídeo: homem é resgatado pelos Bombeiros após dormir no topo de antena de telefonia celular no DF

Resgate foi na manhã de sexta-feira (9) em Planaltina; motivo pelo qual o homem subiu na antena ainda não foi divulgado

  • Brasília | Renato Souza e Carlos Eduardo Bafutto, do R7, em Brasília

Um homem de 28 anos foi resgatado na manhã de sexta-feira (9) após dormir no topo de uma antena de telefonia celular com cerca de 50 metros de altura, no bairro Arapoanga, em Planaltina (DF). O resgate foi feito pelo Corpo de Bombeiros do Distrito Federal (CBMDF).

Soldados do Corpo de Bombeiros do DF resgatam homem de torre em Planaltina (DF)

Soldados do Corpo de Bombeiros do DF resgatam homem de torre em Planaltina (DF)

Divulgação

Foi necessário o uso de uma escada mecânida Magirus para o resgate. No vídeo, é possível ver que um soldado do CBMDF foi até o topo da antena e desceu parte dela junto com o homem usando cordas (com técnica de rapel) até a altura máxima da escada mecânica. 

Homem resgatado em torre

Homem resgatado em torre

Divulgação

O cidadão foi conduzido à 16ª Delegacia de Polícia pela PMDF. O motivo pelo qual ele subiu na antena ainda não foi divulgado.  

Segundo o Corpo de Bombeiros, a equipe tentou contato verbal com o cidadão porém o mesmo não respondia e nem gesticulava. Durante esse tempo de contato a guarnição especialista de salvamento em altura, se equipou e subiu na torre. Foi confirmado que o homem estava dormindo. O soldado acordou o homem e iniciou a descida.

Em nota, o CBMDF afirmou que a equipe seguindo o protocolo de salvamento, fez a montagem de todo o equipamento de segurança e retirou o homem da torre por meio de cabos.

O homem foi avaliado pela equipe do SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) e, segundo os socorristas, "não havia indícios de efeitos de drogas ou álcool nem ideação suicida ou surto psicótico". Segundo a equipe médica, ele estava com os sinais vitais estáveis e não foi preciso levá-lo ao hospital. 

Últimas