Brasília Zanin arquiva queixa-crime de Carlos Bolsonaro contra André Janones

Zanin arquiva queixa-crime de Carlos Bolsonaro contra André Janones

Ministro do STF afirmou que trocas de mensagens entre o vereador no Rio de Janeiro e o deputado federal são bastante recorrentes

  • Brasília | Gabriela Coelho, do R7, em Brasília

Para Zanin, ambos firmam seus conflitos políticos

Para Zanin, ambos firmam seus conflitos políticos

Caio César/Câmara Municipal do Rio de Janeiro | Gilmar Félix / Câmara dos Deputados - 15/08/23

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Cristiano Zanin rejeitou, na última sexta-feira (15), uma queixa-crime apresentada pelo vereador no Rio de Janeiro Carlos Bolsonaro, filho do ex-presidente Jair Bolsonaro, contra o deputado federal André Janones (Avante-MG) por suposta injúria devido a xingamentos em uma rede social.

Segundo o ministro, os comentários e as declarações tidas como ofensivas foram prestadas como resposta a manifestações anteriores e, assim, "operadas no calor de profundos debates e exaltações".

Clique aqui e receba as notícias do R7 no seu WhatsApp
Compartilhe esta notícia pelo WhatsApp
Compartilhe esta notícia pelo Telegram
Assine a newsletter R7 em Ponto

Não se pode desprezar que requerente e requerido são hoje notórios integrantes de grupos políticos adversários. A imensa quantidade de notícias e informações disponíveis envolvendo a vida parlamentar e, inclusive, pessoal de ambos desvela narrativas, acirramentos e críticas de evidente reciprocidade.

Cristiano Zanin, ministro do Supremo Tribunal Federal

Zanin disse, ainda, que compartilhamentos de conteúdos e trocas e mensagens entre os dois parlamentares são bastante recorrentes nas redes sociais e assentam um contexto de debate público acalorado, de evidente colorido político.

"Por mais reprováveis que verdadeiramente sejam as falas mencionadas pelo autor desta ação, soa claro que as manifestações do querelado se deram no cenário de profundas instabilidades e divergências do sistema mundial de computadores, onde ambos, notórios usuários de redes sociais, costumeiramente firmam seus conflitos políticos, frequentemente, há de se dizer, por meio de manifestações jocosas e irônicas", afirma o ministro. 

Últimas