Carros Teste: Renault Logan Expression 1.0 SCe; sedã é econômico, mas não foge das vibrações 

Teste: Renault Logan Expression 1.0 SCe; sedã é econômico, mas não foge das vibrações 

Sem alterações na parte visual, a linha 2017 cumpre bem sua proposta de baixo consumo e preço acessível 

  • Carros | André Schaun, R7

Motor está 30 kg mais leve que o propulsor anterior, por ser feito em alumínio

Motor está 30 kg mais leve que o propulsor anterior, por ser feito em alumínio

André Chiappero Schaun/R7

Transplante de coração, foi isso que a Renault fez durante o Salão do Automóvel de São Paulo, em novembro do ano passado, quando apresentou os novos motores SCe (Smart Control Efficiency) para grande parte de sua linha, tanto 1.0 quanto 1.6. O novo propulsor 1.0 SCe de três cilindros, conta com duplo comando de válvulas variável na admissão e injetores posicionados no cabeçote com catalisador integrado, e está 30 kg mais leve que o motor anterior, por ser feito em alumínio. A proposta do "novo coração" foi entregar mais agilidade e economia ao sedã compacto, já que no visual, deixou os clientes tristes na linha 2017, pois não houve nenhuma mudança. 

Com três cilindros, sedã rende até 82 cv e 10,2 kgfm de torque

Com três cilindros, sedã rende até 82 cv e 10,2 kgfm de torque

André Chiappero Schaun/R7

O motor 1.0 SCe de três cilindros, produzido em São José dos Pinhais, no Paraná, gera 82 cv de potência e torque de 10,5 kgfm, com etanol no tanque de 50 litros; mas se o combustível for gasolina, os números vão para 79 cv de potência e 10,2 kgfm de torque, sempre movido por um câmbio manual de 5 marchas. O sedã não tem identificação do novo propulsor na parte traseira, como é comum em carros com motorização nova. 

Veja a galeria completa do Renault Logan

Basicamente, o Renault Logan é resumido como um carro espaçoso com preço acessível. Sua clientela não liga muito para visual e conforto, já que o sedã é bem básico e sem muito estilo. Por dentro, os acabamentos são todos em plástico duro, com duas tonalidades de cinza e a distribuição dos comandos são bem simples e de fácil manuseio. A tela da central multimídia MediaNav tem 7 polegadas e tem boa sensibilidade ao toque; o sistema possui diversas funções como rádio, conectividade com celular, GPS e computador de bordo com informações gerais de desempenho, sendo bem simples e precisa para quem estiver mexendo. A versão 2017 é assumidamente voltado para o consumo reduzido, protagonizado pelo motor SCe, sem nenhum outro apelo.

Sedã é bem pesadão, mas tem a resposta boa do acelerador, porém, com duas pessoas no máximo

Sedã é bem pesadão, mas tem a resposta boa do acelerador, porém, com duas pessoas no máximo

Divulgação/Renualt

Dada a partida, notamos um ronco diferente do motor, com um timbre um pouco mais grave, característico de propulsores com 3 cilindros. Em movimento, a sensação de vibração e ruídos dentro do carro é menor, mas depois de um certo tempo ela fica bem aparente, com o volante grandão trepidando e o câmbio tremendo quando o carro está parado no semáforo, por exemplo. A direção também leva um certo tempo para acostumar, já que é mais pesada, possuindo sistema eletro-hidráulico, ao invés de totalmente elétrico, como deveria ser para ofuscar um pouco as vibrações incômodas, que já acontecia no motor anterior. 

O sedã é bem pesadão, mas tem a resposta boa do acelerador, porém, com duas pessoas a bordo, no máximo. Como a proposta dele é de um carro familiar, comportando de 4 a 5 pessoas confortavelmente pelo seu amplo espaço interno, a resposta do motor é bem lenta, deixando escancarado a falta de torque e forçando o condutor a trabalhar com o giro bem alto, fazendo aquelas vibrações chatas aumentarem ainda mais e elevar o consumo; em subidas mais íngremes, o Logan 2017 também costuma ter a resposta um pouco mais retardada. Em relação a ruídos internos isso não acontece, com tudo bem encaixado em seu lugar e uma acústica boa.  

Seu porta-malas é bem espaçoso, com 510 litros

Seu porta-malas é bem espaçoso, com 510 litros

André Chiappero Schaun/R7

E o consumo ? Ótimo. Para um carro do tamanho e do peso do Logan, o consumo é excelente, marcando pouco mais de 9 km/l com etanol, e 13 km/l com gasolina, em ciclos urbanos. Então, se analisarmos o carro dentro de sua proposta inicial, que é o consumo, ele cumpre bem e não pesa muito no bolso. 

Como itens de série, esta versão Expression, que está a partir de R$ 48,050, tem como destaque: vidros elétricos apenas na dianteira com acionamento em dois toques, vidros verdes, controle de áudio montado no volante, vidro traseiro fixo com anti-embaçante — mas sem limpador de para-brisa, que faz muita falta —, ar-condicionado, volante com ajuste de altura, alarme, luz no porta-malas — de 510 litros — e rodas dianteiras e traseiras de 15 pol. 

FICHA TÉCNICA
Renault Logan Expression 1.0 12V SCe (Flex) 2017

Motor: 1.0 12V, três cilindros, Injeção multiponto, flex
Potência: 82 cv (G) e 79 cv (E) a 6.300 rpm
Torque: 10,5 kgfm (G) e 10,2 kgfm (E) a 3.500 rpm
Câmbio: Manual de 5 marchas
Direção: Eletro-hidráulica
Freios: Discos ventilados na frente, tambores atrás
Pneus e rodas: 185/65 R15
Suspensão: McPherson na dianteira, eixo de torção na traseira
Dimensões: 4,34 m (comp), 1,73 m (larg), 1,52 m (alt), 2,63 m (entre-eixos)
Peso: 1.019 kg
Tanque de combustível: 50 litros
Porta-malas: 510 litros
Aceleração 0-100 km/h: 13 segundos 
Velocidade máxima: 164 km/h
Garantia: 3 anos
Preço: R$ 48,050

Assista a programação da Record na íntegra pelo R7 Play

Últimas