Cidades Acusado de ajudar Lázaro Barbosa, fazendeiro tem prisão revogada

Acusado de ajudar Lázaro Barbosa, fazendeiro tem prisão revogada

Elmi Caetano Evangelista responderá por fornecer abrigo e comida ao fugitivo; ele vai usar tornozeleira eletrônica

  • Cidades | Josiane Ricardo, do R7

Lázaro Barbosa, de 32 anos, morreu após troca de tiros com a polícia

Lázaro Barbosa, de 32 anos, morreu após troca de tiros com a polícia

Reprodução/Record TV

O fazendeiro Elmi Caetano Evangelista, de 73 anos, teve sua prisão preventiva revogada nesta sexta-feira (16). A informação foi confirmada pela defesa do acusado. Elmi foi detido em flagrante no dia 24 de junho, por ajudar Lázaro Barbosa. De acordo com as investigações, o fazendeiro deu guarida ao criminoso, enquanto Lázaro estava foragido da força tarefa, em Cocalzinho de Goiás.

Elmi estava detido no presídio público de Águas Lindas de Goiás e vai usar tornozeleira eletrônica. Ele foi escoltado pela polícia até em casa.

Em sua decisão, a juíza Luciana Oliveira de Almeida Maia da Silveira disse não ver perigo na soltura do fazendeiro. Ela ressaltou que a simples suspeita, sem provas, de que armas e munições encontradas com Lázaro Barbosa seriam de Elmi, não seriam suficiente para respaldar o prolongamento da prisão.

INVESTIGAÇÕES
A polícia civil de Goiás divulgou um áudio que teria sido enviado por Elmi Caetano. Na mensagem dia “ele tá dormindo lá naquele barraco onde a mãe dele morava”.

No dia 7 de junho, Elmi Caetano foi denunciado pelo Ministério Público de Goiás (MPGO) pelos crimes de favorecimento pessoal e porte ilegal de arma de fogo.

Um pedido de revogação da prisão do fazendeiro já tinha sido negado pela justiça. A juíza responsável pelo caso entendeu que “o denunciado, de forma livre e plenamente ciente das buscas realizadas pelas forças policiais na tentativa de capturar o criminoso Lázaro, deu guarida a ele em sua propriedade rural, fornecendo-lhe repouso, comida, e escondendo-o no local, de maneira a retardar e dificultar sobremaneira o trabalho da polícia”, afirmou.

Últimas