Cidades Aulas da rede municipal de ensino são canceladas após ataque em creche de Santa Catarina

Aulas da rede municipal de ensino são canceladas após ataque em creche de Santa Catarina

Homem invadiu o lugar, matou quatro crianças e deixou outras gravemente feridas; ele foi preso e a cidade decretou luto oficial

  • Cidades | Sandra Lacerda*, do R7

Após ataque em creche, aulas da rede municipal foram suspensas em Blumenau

Após ataque em creche, aulas da rede municipal foram suspensas em Blumenau

Reprodução

A Prefeitura de Blumenau, em Santa Catarina, anunciou o cancelamento oficial das aulas de escolas da rede municipal, por tempo indeterminado, após um homem ter invadido uma creche com um machados nas mãos e matado quatro crianças, na manhã da quarta-feira (5). Uma comemoração de Páscoa que ocorreria no parque da cidade também foi suspensa. 

“Lamentamos profundamente essa tragédia que causa uma triste marca na história da nossa cidade. Que Deus possa confortar o coração de todas as famílias”, lamentou o prefeito Mário Hildebrand. A Prefeitura também declarou luto oficial de 30 dias por conta da tragédia.

De acordo com a prefeitura, o Centro de Atenção Psicossocial (Caps) está disponível para auxiliar nos atendimentos aos familiares das vítimas.

Ataque em creche

Quatro crianças foram mortas na creche

Quatro crianças foram mortas na creche

Reprodução - 05.04.2023

Um homem de 25 anos invadiu na manhã desta quarta-feira (5) o CEI (Centro de Educação Infantil) Cantinho Bom Pastor, na rua dos Caçadores, no bairro da Velha, em Blumenau (SC) e matou quatro crianças — três meninos e uma menina — com uma machadinha. Outras quatro ficaram feridas de acordo com informações iniciais da polícia.

Para entrar na creche particular, o agressor pulou o muro e atingiu, aparentemente de forma aleatória, a cabeça das crianças. As vítimas fatais tinham entre 5 e 7 anos de idade. Há ainda uma criança ferida em estado grave. Após o ataque, o criminoso pulou novamente o muro, subiu em sua moto e se entregou num quartel da PM.

Últimas