Cidades Bahia estima em R$ 2 bilhões custo para reconstruir casas e estradas

Bahia estima em R$ 2 bilhões custo para reconstruir casas e estradas

Mais de 90 mil pessoas tiveram que deixar suas casas por causa das fortes chuvas que afetaram o sul do estado

  • Cidades | Do R7, com informações da Agência Brasil

Até agora, são 33.247 desabrigados, 57.243 desalojados e 25 mortos por causa das chuvas

Até agora, são 33.247 desabrigados, 57.243 desalojados e 25 mortos por causa das chuvas

REUTERS/Amanda Perobelli

O Governo da Bahia calcula que o custo para reconstruir as estruturas destruídas pelas fortes chuvas das últimas semanas pode chegar a R$ 2 bilhões. As enchentes provocaram 25 mortes e forçaram mais de 90 mil pessoas a deixar suas casas. 

A estimativa do custo da reconstrução é do governador da Bahia, Rui Costa (PT), feita na quinta-feira (30) durante visita a municípios da região e posteriormente reportada pela assessoria do Executivo.

O valor corresponderia aos investimentos necessários para recuperar casas, rodovias estaduais e federais, além do custo social de moradores e comerciantes que perderam móveis, eletrodomésticos e mercadorias.

"A expectativa é que o governo federal faça a sua parte. Moram 15 milhões de brasileiros na Bahia. Já nos primeiros dias de janeiro, queremos começar a reconstrução das primeiras casas. No extremo sul, nós já estamos entregando geladeiras, fogões, botijões de gás, tudo o que nos comprometemos a entregar. Aqui, assim que houver o cadastro, vamos entregar também para que essas pessoas tenham sua geladeira, sua cama com colchão”, disse.

Na manhã desta sexta-feira (31), o governador promoveu uma reunião virtual com dezenas de prefeitos e pediu a eles que cadastrem todos os moradores, comerciantes e prestadores de serviços prejudicados pelas enchentes no estado. O objetivo é mapear a demanda para obter recursos e convênios.

Nesta sexta, o presidente da República, Jair Bolsonaro (PL), editou uma medida provisória que abre um crédito extraordinário no valor de R$ 700 milhões para o Ministério da Cidadania. Os recursos são destinados ao socorro das regiões que sofreram com fortes chuvas nas últimas semanas, em especial na Bahia e Minas Gerais. 

Os recursos serão empenhados especialmente na recuperação de infraestrutura de casas, rodovias, fornecimento de energia elétrica e água potável. O texto ainda deverá ser publicado em edição extra do DOU (Diário Oficial da União) e, segundo a Presidência da República, "não afeta o teto de gastos nem o cumprimento da meta de resultado primário".

Anteriormente, o governo havia anunciado R$ 200 milhões para a recuperação de estradas na Bahia e em outras regiões do Nordeste, valor que foi alvo de críticas do governador Rui Costa, que afirmou não ser possível recuperar as rodovias baianas com cerca de R$ 80 milhões inicialmente previstos para o estado.

Vítimas das chuvas

A Sudec (Superintendência de Proteção e Defesa Civil da Bahia) atualizou, na tarde desta sexta-feira (31), os números referentes à população atingida pelas enchentes que ocorrem em diversas regiões do estado. Até agora, são 33.247 desabrigados, 57.243 desalojados, 25 mortos e 517 feridos. O número total de atingidos é de 661.208 pessoas.

Os desalojados são pessoas que saíram de casa mas não demandam abrigo por parte do governo. Já os desabrigados são aqueles que tiveram que sair de sua casa e necessitam de abrigo temporário promovido pelo poder público.

Os números correspondem às ocorrências registradas em 163 municípios afetados. Desse total, 153 estão com decreto de situação de emergência.

Recursos federais

O MDR (Ministério do Desenvolvimento Regional) informou ter repassado mais R$ 5 milhões a dez cidades baianas. São elas: Teolândia, Jaguaquara, Boa Vista do Tupim, Guaratinga, Conceição do Almeida, Jiquiriçá, Amargosa, Itambé, Ribeira do Pombal e Itabela. Segundo a pasta, os recursos vão beneficiar mais de 112 mil pessoas que sofrem com as fortes chuvas.

Com essas liberações, o MDR disse que o total de repasses do governo federal à Bahia soma R$ 32,1 milhões, desde o fim de novembro, para ações de respostas ao desastre natural em 33 municípios.

Últimas