Cidades Brasileira passa mal em voo que ia para a Tailândia e morre em hospital do Catar

Brasileira passa mal em voo que ia para a Tailândia e morre em hospital do Catar

Avião que levava Regina Dezani fez pouso de emergência. Ela foi socorrida, mas não resistiu

  • Cidades | Do R7, com informações da Agência Estado

Regina Dezani Costa, de 39 anos, passou mal durante voo que ia para a Tailândia

Regina Dezani Costa, de 39 anos, passou mal durante voo que ia para a Tailândia

Reprodução/Facebook

Uma brasileira que viajava do Brasil para a Tailândia morreu na noite deste domingo (30). Regina Dezani Costa tinha 39 anos e passou mal durante o voo que ia em direção ao país asiático.

A aeronave em que estava teve que fazer um pouso de emergência em Doha, na capital do Catar. A mulher foi socorrida a um hospital, mas não resistiu.

O Itamaraty confirmou a morte das brasileira e informou que foi notificado sobre o caso neste domingo (30), assim que ela chegou em Doha.

A embaixada brasileira no Catar está acompanhando o caso e, por respeito, aos familiares não forneceu mais detalhes do falecimento.

Mal súbito

Regina Dezani da Costa estava a bordo na companhia de duas amigas brasileiras quando teria desfalecido.

A equipe médica a bordo deu o primeiro atendimento e, verificando a gravidade do caso, informou o comandante do voo, que optou por um pouso de emergência no aeroporto mais próximo, em Doha, no Catar. Regina foi levada para um hospital, mas não resistiu.

A família dela, que mora em Votuporanga, no interior de São Paulo, recebeu a confirmação da sua morte nesta segunda-feira, 1.º, pelo Ministério das Relações Exteriores.

Dois irmãos dela viajaram para Brasília para tentar rapidez na liberação do corpo junto ao Itamaraty. Eles também buscavam mais informações sobre o acontecido e a causa da morte.

As primeiras informações davam conta de que Regina teria sofrido um mal súbito e morrido ainda no interior do avião. De acordo com o Itamaraty, as informações oficiais serão prestadas somente à família.

Formada pelo Centro Universitário de Votuporanga (Unifev), Regina era administradora de empresas e trabalhava e morava em São Paulo. Ela e as amigas fariam um roteiro turístico no país asiático. Uma das amigas que permanecia em Doha falou com familiares e disse que Regina começou a passar mal de repente. Ela perdeu a cor e teria desmaiado.

O atendimento pelos médicos que estavam a bordo foi rápido. Depois que Regina foi retirada do avião e levada por uma ambulância, a amiga recebeu a informação de que Regina tinha falecido. Ela era filha de um policial militar aposentado e deixou três irmãos, Rosângela e os também policiais militares Robson e Rodolfo Dezani.

Itamaraty confirmou a morte da mulher, mas não forneceu a causa e trata o caso em sigilo

Itamaraty confirmou a morte da mulher, mas não forneceu a causa e trata o caso em sigilo

Reprodução/Facebook

Últimas