Cidades Ceará: 110 são presos por ataques e dois morrem em troca de tiros

Ceará: 110 são presos por ataques e dois morrem em troca de tiros

Em nota, governo diz que 34 dos detidos são adolescentes. Homem foi autuado por venda irregular de combustível a grupos criminosos

Ataques em Fortaleza

110 já foram presos por suspeita de envolvimento com ataques violentos no Ceará

110 já foram presos por suspeita de envolvimento com ataques violentos no Ceará

KLEBER GONÇALVES/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO/05.01.2019

A SSPDS (Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social) do Ceará informou, neste domingo (6), que já são 110 as pessoas presas por suspeita de envolvimento com os ataques violentos que vêm sendo registrados no Estado desde a última quarta-feira (2).

Em nota, a pasta diz que 34 dos detidos são adolescentes e acrescenta que, na última madrugada, dois suspeitos não identificados morreram em troca de tiros com a PM no bairro Granja Portugal, na zona oeste de Fortaleza.

Segundo a SSPDS, os suspeitos tentaram atear fogo a um posto de atendimento do Detran (Departamento Estadual de Trânsito). A polícia acabou por apreender coletes balísticos, um revólver calibre 38, munições, coquetéis molotov, galões de combustíveis e um veículo. Um policial foi ferido no incidente, mas não corre risco de vida.

O órgão destaca que houve ainda a prisão em flagrante de um suspeito por venda irregular de combustíveis a grupos criminosos. Um caminhão-tanque foi apreendido e o homem — que estaria vendendo cada galão de gasolina a R$ 17 — foi encaminhado para a Draco (Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas).

Onda de violência

Dezenas de ataques a prédios, bancos e ônibus foram registradas em Fortaleza e no interior do Estado na última semana. Investigações do governo do Ceará apontam que as ordens para as ações partiram das facções Comando Vermelho e da Guardiões do Estado. Os crimes aconteceram um dia após o secretário da recém-criada pasta de Administração Penitenciária, Luís Mauro Albuquerque, ter dito que não reconhecia facções e que não iria mais separar presos de acordo com a ligação com esses grupos.

Por determinação do Ministério da Justiça e Segurança, 300 homens da Força Nacional se uniram aos agentes do Estado para conter a violência. O governo do Ceará, por sua vez, empossou na sexta-feira (4) 373 novos policiais militares, que reforçam o patrulhamento nas ruas e 34 policiais rodoviários federais, nas BRs. Outro reforço veio do governo baiano, que mandou 100 PMs.

Os ônibus em Fortaleza passaram a ser escoltados por policiais militares para inibir as ações criminosas e a PMCE (Maracanaú, a Polícia Militar do Ceará) vêm realizando blitze em bairros e avenidas estratégicas da capital.