Cidades Chacina em Fortaleza deixa ao menos 14 pessoas mortas

Chacina em Fortaleza deixa ao menos 14 pessoas mortas

Crime aconteceu durante a madrugada deste sábado (27), em um clube no bairro Cajazeiras

Chacina em Fortaleza deixa ao menos 18 pessoas mortas

Local onde ocorreu a chacina em Fortaleza

Local onde ocorreu a chacina em Fortaleza

Foto: Águia Dourada

As pessoas que se divertiam na festa chamada Forró do Gago, no bairro Cajazeiras, na periferia de Fortaleza, foram surpreendidas nesta madrugada quando homens armados invadiram o evento e dispararam contra o público formado por jovens.

Segundo informações da Polícia Militar, 14 pessoas morreram, sendo oito delas mulheres e seis homens. Sete delas já foram identificadas até o momento. O tiroteio deixou mais seis pessoas feridas, que foram socorridas ao Hospital Distrital Edmilson Barros de Oliveira. Esta já é considerada a maior chacina do Estado.

Há suspeita de que os assassinos pertençam a uma facção conhecida como Guardiões do Estado (GDE). Eles teriam ordem para matar membros do Comando Vermelho (CV), que seriam os organizadores da festa. Segundo moradores, o bairro é dominado por um acordo entre o CV e a Família do Norte (FDN). 

De acordo com testemunhas, três carros com homens armados se aproximaram do clube antes de invadir a festa. Ainda não há informações precisas de quantos suspeitos participaram do ataque, nem de quantos seriam os alvos do grupo. Após o ataque, os suspeitos conseguiram fugir.

Crime aconteceu na madrugada deste sábado (27)

Crime aconteceu na madrugada deste sábado (27)

Foto: Águia Dourada

Uma força-tarefa da Polícia Militar foi montada para encontrar os criminosos.

Secretaria de Segurança faz reunião de emergência

A cúpula da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) do Ceará discute, na tarde deste sábado (27), a chacina.

Testemunhas afirmam que o número de vítimas é maior. Algumas ainda estão internadas.

Para o titular da pasta, André Costa, trata-se de “uma situação isolada, mas que terá todo suporte necessário às investigações”.

Secretário de Segurança do estado diz que crime "é um caso isolado"

Secretário de Segurança do estado diz que crime "é um caso isolado"

Reprodução / TV Cidade (RecordTV)

Apesar do crescente número de casos como este no Ceará, o secretário afirmou que “não será necessária a intervenção federal no Estado”. Vanja Fontenele, procuradora-geral em exercício do Ministério Público (MP/CE), confirmou que o auxílio federal não será solicitado

Ainda de acordo com as declarações do secretário de Segurança, “ações como esta acontecem em todo lugar. É uma situação criminosa que foi planejada e executada. Então, não é caso de perda de controle".

"Não há motivo para pânico, para temor. Estamos acompanhando, engajados. É uma situação isolada", completou Costa.

Representantes da pasta estão em reunião com Ministério Público do Ceará e com a Procuradoria-Geral da Justiça para debater planos para aprimorar a segurança da população.

Governador se pronuncia

Nas redes sociais, o governador do Ceará, Camilo Santana (PT), se pronunciou sobre a chacina, que classificou como "ato selvagem e inaceitável". O chefe do Executivo estadual disse ter convocado imediatamente o secretário de Segurança, André Costa, e a cúpula da pasta para agir com "rigor absoluto".

Leia a íntegra da nota do governador: