Cidades Cinco suspeitos de ajudar Lázaro Barbosa são indiciados 

Cinco suspeitos de ajudar Lázaro Barbosa são indiciados 

Fazendeiro, caseiro, viúva, ex-mulher e ex-sogra do fugitivo responderão por acobertar o fugitivo, morto após 20 dias de buscas

  • Cidades | Do R7*

Lázaro Barbosa

Lázaro Barbosa

Reprodução/ Record TV

Cinco pessoas foram indiciadas pela Polícia Civil de Goiás por acobertar a fuga de Lázaro Barbosa, o homem de 32 anos morto pela polícia em 28 de junho após 20 dias de perseguição pelo interior goiano, na região de Cocalzinho de Goiás. Os indiciados são o fazendeiro Elmi Caetano Evangelista, um caseiro e a viúva de Lázaro, além da ex-mulher e da a ex-sogra do fugitivo.

As investigações indicaram que os cinco "prestaram auxílio para que ele não fosse capturado pelas forças policiais, tanto prestando informações, dando guarita - inclusive alimentação, levando ele para esconderijos e, sobretudo, iriam propiciar a fuga definitiva dele, que foi impedida pela captura”, afirmou o delegado Cléber Martins, titular da 17ª Delegacia Regional da Polícia Civil de Goiás.

A polícia avalia se pedirá o sequestro da propriedade rural de um dos envolvidos para minimizar os gastos com a operação. “Nós estamos estudando para que, com a futura venda dessa propriedade, possamos amortizar o gasto feito para a captura dele, visto que, ao escondê-lo lá, ele atrasou em pelo menos uma semana a operação”, informou Rodney Miranda, secretário de Segurança Pública de Goiás.

Ao todo, 13 inquéritos policiais instaurados foram concluídos e remetidos ao Poder Judiciário. 

De acordo com as investigações, o fazendeiro Elmi Caetano Evangelista, de 73 anos, deu abrigo e comida a Lázaro e teria ainda proibido que a força-tarefa entrasse em sua propriedade para o trabalho de buscas. Elmi foi preso no dia 24 de junho no distrito de Girassol. Além do auxílio à fuga de Lázaro, ele foi autuado em flagrante e indiciado por posse irregular de duas armas de fogo.

Sobre as mulheres, a polícia concluiu que as três tiveram contato com o fugitivo durante a perseguição e não o denunciaram. Elas foram indiciadas pelo crime previsto no artigo 348 do Código Penal, que qualifica como crime o auxílio a suspeito para que fuja de ação policial. Se condenadas, podem pegar de um a seis meses de prisão e multa.

O delegado Cléber Martins afirma que ainda está sendo apurada a participação de outras pessoas. "Nada impede que, surgindo provas, sejam instaurados devidos procedimentos”, afirmou.

A operação de captura a Lázaro Barbosa mobilizou mais de 270 agentes de Goiás, Distrito Federal e das forças de segurança federais. A força-tarefa trabalhou de forma ininterrupta nas regiões de Cocalzinho de Goiás e Águas Lindas. Foram utilizadas dezenas de viaturas, quatro helicópteros e cerca de 10 drones. 

*Com a colaboração de Nicolas Campos

Últimas