Cidades Em 2013, protestos deixaram 837 feridos e oito mortos no Brasil

Em 2013, protestos deixaram 837 feridos e oito mortos no Brasil

Dados foram levantados pela ONG internacional Artigo 19 e divulgados nesta segunda-feira

Em 2013, protestos deixaram 837 feridos e oito mortos no Brasil

Manifestantes e policiais durante protesto na avenida Paulista

Manifestantes e policiais durante protesto na avenida Paulista

Eduardo Enomoto/ 15.05.2014/ R7

No ano passado, oito pessoas morreram e 837 ficaram feridas durante manifestações ocorridas em todo o País. Os dados fazem parte de um levantamento da ONG internacional Artigo 19, publicado no site Protestos no Brasil 2013, lançado nesta segunda-feira (2).

Ao todo, ocorreram 696 protestos no Brasil. Entre os feridos, estão 117 jornalistas que cobriram os atos. As pessoas detidas somaram 2.608, sendo dez delas profissionais da imprensa.

Os principais abusos cometidos pela polícia também foram examinados. Na lista, estão a ausência de identificação de policiais, o uso indiscriminado de armas menos letais, como balas de borracha e bombas de gás lacrimogêneo, e a prática de detenções arbitrárias em larga escala.

De acordo com a organização, todas as violações registradas contradizem uma série de convenções e leis internacionais que tratam do direito à manifestação. No caso da ausência de identificação de policiais, a ONU expressa a importância da identificação visível nos uniformes de policiais para a responsabilização de culpados no caso de violações a direitos humanos.

O levantamento foi feito com base nas informações divulgadas pela imprensa. O resultado foi analisado e publicado no site, que traz números, infográficos, análises de leis e depoimentos de vítimas de violência e especialistas, além de críticas a abusos na atuação do Estado.

Leis criadas após protestos criminalizam manifestantes, diz ONG

Leia mais notícias de Cidades

A Artigo 19 é uma organização internacional de direitos humanos que atua na defesa e promoção da liberdade de expressão e do acesso à informação pública. A ONG está presente no Reino Unido, em Bangladesh, no Brasil, nos Estados Unidos, no Quênia, no México, no Senegal e na Tunísia. Seu nome se refere ao artigo 19 da Declaração Universal dos Direitos Humanos da ONU, que trata do direito à liberdade de expressão e informação.