Cidades Filhos de tesoureiro do PT assassinado devem receber pensão, diz juiz

Filhos de tesoureiro do PT assassinado devem receber pensão, diz juiz

Marcelo Arruda foi morto na própria festa de aniversário por um bolsonarista, em julho do ano passado

Agência Estado
Marcelo Arruda, assassinado no ano passado

Marcelo Arruda, assassinado no ano passado

reprodução/Instagram

A Justiça Federal decidiu que a União deve pagar pensão alimentícia aos filhos do guarda municipal e tesoureiro do PT Marcelo Arruda, assassinado em julho do ano passado na própria festa de aniversário por um bolsonarista.

A pensão será de R$ 1.312,16 para cada um dos três filhos menores de idade. Somado à pensão por morte de R$ 7.998,60, paga pela Prefeitura de Foz do Iguaçu, o valor total recebido pelos filhos corresponderá ao salário do guarda municipal.

"Tratando-se de filhos menores, a dependência financeira é presumível e o prejuízo, igualmente", escreveu o juiz Diego Viega Veras, da 2ª Vara Federal de Foz do Iguaçu.

A decisão considera que o acusado, o agente penitenciário federal Jorge Guaranho, usou uma arma da União para cometer o crime, o que, na avaliação do juiz, torna o Estado responsável por "omissão".

"Há responsabilidade omissiva do Estado quanto aos atos praticados pelo seu servidor, ainda que fora de serviço, uma vez que utilizada arma pertencente ao referido ente público", diz outro trecho da decisão.

Últimas