Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Notícias R7 – Brasil, mundo, saúde, política, empregos e mais
Publicidade

Arroz com feijão é melhor do que dietas famosas, inclusive para emagrecer. Entenda

A dupla famosa entre os brasileiros, segundo especialistas, fornece nutrientes importantes para uma refeição saudável. Aprenda a montar um prato nutritivo e sem erros

Folha Vitória

Folha Vitória|Do R7


São inúmeras as opções e variedades de dieta. Low carb, cetogênica, dieta do mediterrâneo, além de muitas outras atraem pessoas em busca de um corpo mais saudável e harmônico. Mas diante de tantas modalidades, qual a mais indicada para o brasileiro? Especialistas dizem que a reposta é bastante simples: arroz e feijão.

Folha Vitória
Folha Vitória

Segundo Vanderli Marchiori, membro da Sociedade Brasileira de Alimentação e Nutrição, ouvido pelo portal de notícia R7, a boa e velha dupla arroz com feijão contempla toda a base alimentar necessária para um indivíduo.

“Quando a gente faz a combinação do arroz e do feijão, um pouco mais de feijão do que arroz, nós temos uma quantidade de carboidrato e proteína bastante equilibrada e que serve como base da alimentação”, explica.

É importante ressaltar que a quantidade ideal para cada pessoa depende de alguns fatores, entre eles idade, altura e sexo. As pessoas mais jovens, por exemplo, acabam consumindo mais energia e por esse motivo, acabam necessitando de uma porção maior da combinação.

Publicidade

"Para uma mulher brasileira média de 30 anos e 1,60 m, seria próximo de três colheres de sopa de arroz com uma concha grande de feijão", conta a nutricionista.

Quando se leva em consideração o padrão genérico, Vanderli, diz que o correto é uma parte de arroz para duas de feijão. Em exemplo: duas colheres de sopa de arroz e quatro colheres de sopa de feijão.

Publicidade

Guia alimentar do Ministério da Saúde recomenda arroz e feijão no prato

Quem também recomenda a dupla arroz com feijão diariamente, ou ao menos duas vezes na semana, nas refeições é O Guia Alimentar do Ministério da Saúde. O documento traz que o prato brasileiro traz o aporte completo de proteínas necessárias para a saúde.

Ainda de acordo com a nutricionista, para que de fato a refeição se torne completa, é necessário incluir vegetais uma vez que serão responsáveis pela composição extra de mineiras e também de vitaminas. Para que a combinação fique perfeita, a dupla pode ser acompanhada de um ovo e salada.

“Podemos fazer com repolho, por exemplo, que rende bastante, ou com cenoura ralada. Mas, se for uma pessoa que já pode comer uma salada mais variada, podemos fazer a rotação entre alface, rúcula, espinafre, tomate, cenoura, entre outros”, recomenda Vanderli.

A profissional disse que a refeição mais completa é o "arroz mais o feijão, com 100 gramas de peixe ou frango, ou dois ovos, e uma generosa porção de salada crua com cores variadas".

Emagrecimento

Mais que uma opção equilibrada e rica em nutrientes, o arroz e feijão podem ser adotados como estratégia se o objetivo é perder peso.

“O valor calórico do arroz e feijão, quando combinados, é bastante adequado para uma refeição maior, como o almoço ou jantar, e é rico em fibras, porque o feijão tem bastante fibra”, informa a especialista.

Para Vanderli, a população brasileira passou a ganhar peso quando tirou o arroz e feijão de suas refeições. Na entrevista ao R7, a especialista disse que esse aumento de casos de obesidade mostram um consumo menor da dupla por parte da população.

Folha Vitória
Folha Vitória

Como escolher o melhor tipo de arroz e de feijão?

Existem feijões de várias cores, tamanhos e origens. O arroz também é bastante diverso. Os mais populares, sãoo branco e o integral. Segundo O Guia Alimentar do MS, cereais polidos excessivamente, como o arroz branco, apresentam menor quantidade de fibras e micronutrientes. 

Por isso, as versões menos processadas são as melhores opções. Um exemplo é o arroz integral.

Saiba como montar um prato saudável

Então, na prática, e diante de uma rotina corrida e agitada, como garantir uma refeição saudável e nutritiva? Um boa dica é sempre pensar e fazer boas escolhas antes de montar seu prato. Quanto mais colorido, melhor! As quantidades também são muito importantes se o objetivo é não errar a mão. Veja só:

- Primeiro, divida seu prato em quatro partes;

- As duas primeiras, o que corresponde a 50% do prato, devem trazer verduras, vegetais e legumes;

- Já a terceira parte (25%), entram os carboidratos;

- Por fim, a quarta parte (25% restante), deve ser contemplado entre proteína vegetal e animal (ex: ovo, bife de frango ou carne e feijão).

*Com informações do portal de notícias R7

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.