Aumentam ações contra crescente número de maus-tratos contra animais

As vistorias são realizadas pela equipe técnica do órgão, em parceria com agentes ambientais da Gerência de Fiscalizaçãoe apoio do Centro de Vigilância em Saúde Ambiental (CVSA/Semus)

Foto: André Sobral
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

O projeto de Educação Ambiental para a guarda responsável de animais domésticos dá continuidade à campanha educativa com o tema "Histórico e estatísticas de denúncias de maus-tratos por meio do 156".

A Gerência de Bem-Estar Animal da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semmam) recebeu, no período de julho de 2018 a junho de 2019, 436 chamados. Em comparação com o mesmo período do ano anterior, houve um acréscimo de 73%. Isso pode representar o fortalecimento do Fala Vitória 156.

Denúncias

As denúncias sobre maus-tratos aos animais podem ser feitas pelo Fala Vitória 156.

Levantamento

Confira abaixo levantamento da Gerência de Educação Ambiental sobre as denúncias.

Bairros

O bairro com maior quantitativo de denúncias é Jardim Camburi, seguido por Jardim da Penha, Itararé, Fradinhos, Tabuazeiro e Maria Ortiz.

"Esse indicador mostra que maus-tratos aos animais ocorrem por toda a cidade, independente de ser área nobre ou não. É possível que o número de chamados seja maior em Jardim Camburi pelo fato de o bairro ser o mais populoso da cidade", disse o secretário de Meio Ambiente de Vitória, Luiz Emanuel Zouain.

Diante do levantamento, o projeto buscou potencializar os processos educativos nas regiões com maior número de ocorrências, como na Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) Adevalni S. F. Azevedo, em Jardim Camburi, e na Emef José Áureo Monjardim, em Fradinhos.

Meses

O maior número de chamados ocorreu em novembro de 2018, seguido por dezembro do mesmo ano. Isso pode ser explicado pela proximidade do período de férias escolares, que pode acarretar em mais casos de abandono de animais. Apesar disso, em todos os meses foram registradas denúncias de maus-tratos, variando de 23 a 46 por mês.

Situação atual

De 100% dos chamados, 91% foram resolvidos, 8% encontram-se em andamento e apenas 1% foi cancelado. Em comparação com números absolutos do ano anterior, houve um aumento de mais de 200% na resolução dos chamados.

"Dos chamados resolvidos, em 39% não foram identificadas situações de maus-tratos ou abandono, ou seja, não se enquadravam nos itens definidos pelo Comitê Brambell (1965), como privação do animal aos seus direitos, ou seja, direito ao bem-estar nutricional, sanitário, ambiental, comportamental e psicológico", informou a gerente de Bem-Estar Animal, Daniele Benevides.