Folha Vitória Brasil realiza 47.360 harmonizações faciais por ano

Brasil realiza 47.360 harmonizações faciais por ano

Estudo desenvolvido por revista norte-americana contextualiza cenário de procedimento estético de harmonização facial, no Brasil

Folha Vitória
Foto: Divulgação/DINO

Um estudo produzido pela revista norte-americana Plastic and Reconstructive Surgery identificou que os brasileiros são bastante frequentes em consultórios e clínicas que realizam procedimentos de harmonização facial. Segundo a pesquisa, cerca de 47.360 procedimentos são realizados anualmente por profissionais brasileiros.

Os pesquisadores ouviram 160 diferentes profissionais da estética, saúde e bem-estar de 19 estados brasileiros no período entre janeiro e março de 2021 para chegar a esta conclusão. Esses dados coletados colocam o Brasil como um referencial para a realização deste procedimento na América Latina.

A alta demanda por procedimentos estéticos no país vem aquecendo um setor que ganha novos profissionais, novas clínicas e, principalmente, um nível cada vez mais elevado de especialização entre os que oferecem o atendimento. “A procura por procedimentos estéticos tornou-se realmente um filão na área da saúde, e isso faz aumentar bastante a responsabilidade de quem atua com Harmonização Orofacial”, explica a cirurgiã-dentista Dra. Paola Andrade, especialista e residente de harmonização orofacial nas universidades de Harvard e Cambridge.

E, segundo a dentista, há muitas razões que explicam esse fenômeno no Brasil em particular. “As técnicas não são invasivas quanto as cirurgias plásticas. É muito difícil haver rejeição pelo organismo, porque alguns produtos injetados são de origem natural. Além disso, entregam resultados que atendem rigorosamente ao gosto dos pacientes”, explica a cirurgiã-dentista.

Filha do cirurgião-dentista Dr. Paulo Coelho Andrade, que é mestre e especialista em implantodontia e odontologia estética, Dra. Paola atua ao lado do pai, seguindo à risca as orientações que defendem a boa utilização da harmonização facial para as pessoas que procuram resultados estéticos a partir da toxina botulínica, do ácido hialurônico e outras substâncias usadas nos procedimentos. “Os avanços da saúde ocorrem a uma velocidade impressionante, e oferecem novas técnicas e materiais que revolucionam a harmonização orofacial. Para atuar nessa área, devemos investir em novos equipamentos, em infraestrutura e em capacitações constantes”, sustenta.

Neste universo de procedimentos abundantes, relatado pela Plastic and Reconstructive Surgery, também existem alguns cuidados necessários. Uma recomendação importante é a de buscar por clínica capacitadas e de boa infraestrutura para realizar os procedimentos desejados.

“Se estamos falando de um segmento que cresce, é necessário fazê-lo crescer também em qualidade. E a forma de fazer isso é certificar-se de que a clínica onde o paciente decide fazer algum procedimento é de excelência. Isso torna nossos feedbacks muito próximos da perfeição. Quando se trata de harmonização orofacial, menos do que isso é inaceitável”, pontua a especialista.

Últimas