Folha Vitória Campanha aborda o que saber antes de comprar uma lâmpada LED

Campanha aborda o que saber antes de comprar uma lâmpada LED

Em vídeo, o especialista da Abilumi orienta os consumidores sobre os critérios básicos para adquirir um produto seguro e de qualidade

Foto: Divulgação/DINO

Não é preciso ser um expert em iluminação para tirar proveito da tecnologia LED. Pensando nisso e a fim de apoiar os consumidores no momento da compra da lâmpada, o engenheiro eletricista e Assessor Técnico da Abilumi (Associação Brasileira de Fabricantes e/ou Importadores de Produtos de Iluminação), Rubens Rosado, reuniu em vídeo algumas dicas que vão ajudar o público a adquirir um produto de qualidade e seguro, que atenda às mais diversas necessidades.

A primeira orientação é nunca escolher uma lâmpada pelo preço. “O consumidor encontra hoje no mercado uma infinidade de marcas e modelos de lâmpadas LED, de empresas idôneas e de outras nem tanto, o que pode colocar em risco a segurança do usuário e das instalações. Por isso é mais seguro evitar os produtos que tenham um preço muito menor que os concorrentes, o que pode ser sinal de baixa qualidade e durabilidade”, diz o engenheiro.

Já em relação à cor da luz, se branca ou amarela, o especialista da Abilumi reforça que é importante avaliar qual será a aplicação da lâmpada. “As lâmpadas LED possuem tonalidades de cores identificadas nas embalagens, expressas em Kelvin (K), sendo: quente, neutra ou fria. Em ambientes como o home office, por exemplo, os modelos de lâmpadas mais indicados são os com temperatura de cor próxima a 4.000K, que ajudarão a tornar o trabalho mais dinâmico.”

Em ambientes comerciais, cozinhas, banheiros e áreas de serviço e outros locais onde são realizados trabalhos manuais e que exigem atenção, a opção mais indicada é a luz fria, com temperatura que varia entre 6.000K a 6.500K.

“Se o objetivo é iluminar um ambiente e torná-lo mais aconchegante, a exemplos de quartos, salas de estar e outras partes da casa onde se deseja estar mais relaxado, o ideal é a lâmpada de 2.700K”, orienta.

As embalagens trazem outro dado importante: a quantidade de lúmens, que medem a quantidade de luz emitida por uma lâmpada em todas as direções, também chamado de fluxo luminoso, ou seja, o quanto uma lâmpada ilumina um ambiente.

Por esse motivo, o consumidor não deve escolher uma lâmpada LED pelo critério da potência, medida em Watts, que simplesmente diz respeito ao consumo de energia e não tem nada a ver com a emissão de luz. Já em relação à eficiência, uma lâmpada LED é eficiente se tem uma alta taxa de lúmens e um baixo valor de Watts.

Concluindo o vídeo, o Assessor Técnico da Abilumi reforça que o público deve procurar lâmpadas de boa procedência, com selo do Inmetro e da Abilumi na embalagem. “Isso demonstra que são certificadas e estão dentro dos padrões de qualidade e segurança exigidos”, completa o especialista.

O vídeo está disponível no link  https://www.youtube.com/watch?v=YnLVDiJh71c

Últimas