Folha Vitória Comer bem pode aumentar a expectativa de vida em até 13 anos

Comer bem pode aumentar a expectativa de vida em até 13 anos

Estudo demonstra como a alimentação está associada à longevidade

Após dois anos de pandemia, algumas lições importantes foram aprendidas, principalmente no que diz respeito à saúde. Conforme aponta estudo publicado pela revista Plos Medicine, maus hábitos como alimentação inadequada são responsáveis pela diminuição da longevidade da população. Por outro lado, os dados assinados por instituições norueguesas que analisaram o estilo de vida dos americanos, provaram que a ingestão de alimentos saudáveis pode aumentar a expectativa de vida em mais de uma década.

Baseado no levantamento do Global Burden Disease (GBD), a pesquisa analisou se uma mudança nos hábitos alimentares poderia resultar em maior longevidade nos três polos: Estados Unidos, China e Europa, regiões que ocupam os rankings atuais entre maiores consumidores de fast food do mundo. De acordo com as estimativas, reduzir a quantidade de carnes vermelhas, alimentos ultraprocessados e açúcar levaria a um ganho notável. O estudo analisou as faixas etárias de 20, 40 e 80 anos, constatando que em todas elas existiria um benefício significativo em mais anos de vida.

Por isso, a indústria de alimentos teve de se reinventar para atender as demandas relacionadas à saúde da população, diminuindo até mesmo a quantidade de sódio nas refeições. O sal, presente em muitos condimentos, na medida certa, mantém o equilíbrio de água no corpo e a transmissão de impulsos no sistema nervoso, por exemplo. Contudo, a ingestão em excesso acarreta vários malefícios, especialmente para o sistema cardiovascular.

Pensando no bem-estar do consumidor, a Garlic Foods atua no mercado a fim de transformar a dieta dos brasileiros. A empresa do ramo alimentício, criada em 2006, surgiu da necessidade de suprir a falta de temperos saudáveis, já que no país a maioria dos produtos disponíveis em mercado são ultraprocessados, uma das principais causas da hipertensão arterial, junto com a obesidade, estresse e tabagismo, por exemplo. Atualmente, a “pressão alta” atinge mais de 38 milhões de pessoas no Brasil. Hoje, o portfólio da marca possui mais de 60 itens como farofas temperadas, molhos, moedores, sal grosso, castanhas, tapiocas, alho in natura e temperos dos mais variados.

“Com as mudanças de trabalho durante a crise sanitária, demos mais atenção para o cuidado com o corpo e para investir em uma alimentação mais equilibrada. Por isso, a Garlic Foods se posiciona no mercado com produtos de qualidade, sabor e praticidade para o dia a dia”, comenta o diretor geral da Garlic Foods, Elson Moraes. Além das vendas no varejo, a organização está presente também no setor de Private Label, atendendo clientes como Grupo Pão de Açúcar, Grupo Big, Carrefour, Lopes, Cencosud, St Marche, Makro e Unilever.

Últimas