Cuidado! Afta que não cura pode ser sinal de câncer bucal

Uma forma de identificar a doença é observando o tempo de cicatrização. Aftas que demoram mais de 15 dias para sumir devem ser investigadas

Foto: Divulgação
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Sabe aquela afta persistente, que demora a cicatrizar? É melhor tomar cuidado! Úlceras que não cicatrizam podem ser, na verdade, sinal de uma doença séria: o câncer de boca.

Caracterizado pela multiplicação desordenada das células da mucosa bucal, esse câncer pode atingir desde a gengiva, céu da boca e até os lábios.

O dentista Gustavo Menegucci explica que é comum confundir aftas com as feridas causadas pelo câncer de boca, devido à similaridade dos sintomas. “Apesar de serem condições com grau de gravidade distinto, ambas se manifestam por meio de úlceras e bolhas na boca”, destacou.

Uma forma de identificar e distinguir esses machucados é observando a origem. Enquanto as aftas surgem a partir de alterações hormonais, imunológicas ou até mesmo no consumo de alimentos que irritam os tecidos da boca, o câncer se refere ao estilo de vida do paciente. “Essa condição está relacionada aos maus hábitos. Sendo o tabagismo e o consumo excessivo de bebidas alcoólicas as principais causas”, alerta.

Outra forma de identificar a doença é observando o tempo de cicatrização, aftas que demoram mais de 15 dias para sumir devem ser investigadas. “Feridas relacionadas ao câncer bucal tem a característica não cicatrizar por completo. Quando paciente manifesta esse tipo de quadro, acende-se um alerta vermelho”.

O dentista orienta que ao notar úlceras estranhas na boca, o ideal é procurar um profissional da odontologia para auxiliar na investigação, diagnóstico e tratamento do problema. “Quando a rotina de cuidados e ida ao consultório estão em dia, são maiores as chances de um diagnóstico precoce. Isso porque exames para detectar câncer bucal fazem parte da consulta odontológica de rotina e aumenta consideravelmente as chances de cura do paciente”, afirmou.