Folha Vitória Depois de alerta em barragem da Vale, a cidade de Barão de Cocais cria feriado para treinar fuga

Depois de alerta em barragem da Vale, a cidade de Barão de Cocais cria feriado para treinar fuga

Barão de Cocais está em alerta depois de barragem da Vale apresentar risco de rompimento. Mapa com pontos de salvamento foi divulgado

Barão de Cocais está em alerta depois de barragem da Vale apresentar risco de rompimento. Mapa com pontos de salvamento foi divulgado

Foto: divulgação defesa civil
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

A prefeitura de Barão de Cocais (MG), cidade com 100 km de distância de Belo Horizonte, decretou “feriado de segurança” nesta segunda-feira (25) para treinar a população local com uma simulação de evacuação em caso de rompimento da barragem Sul-Superior da Mina de Gongo Soco.

Com o decreto, não haverá aula na rede pública, expediente nas repartições públicas do município nem funcionamento do comércio.

A Defesa Civil de Minas Gerais divulgou um mapa com a mancha de alagamento prevista e com a sinalização dos pontos de encontro que vão receber as cerca de 6 mil pessoas que podem ser afetadas caso a barragem Sul Superior da mina Gongo Soco, da Vale, em Barão de Cocais (MG), se romper.

Foto: divulgação defesa civil
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Estudos feitos pela Defesa Civil apontam que as pessoas nesta área tem, em média, cerca de 1 hora para procurar abrigos nos pontos de encontro. Equipes da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais estão em alerta para qualquer necessidade de uma operação de evacuação.

Alerta de risco

A Defesa Civil, em novo levantamento, disse que o total de moradores de Barão de Cocais a serem evacuados é de 6.054, em vez dos 9 mil anunciados anteriormente. te desta sexta-feira (22), a sirene foi acionada depois de reunião entre autoridades e a Vale. No encontro, a mineradora informou que a empresa de consultoria contratada para analisar a estrutura teria indicado "condição crítica de estabilidade da barragem".

Em 8 de fevereiro, cerca de 500 pessoas já haviam sido retiradas da chamada Zona de Auto Salvamento (ZAS) da barragem, depois do acionamento de sirene que alertou para nível 2 de risco. A ZAS fica perto da barragem e seria a primeira atingida. Esses moradores não teriam tempo de serem retirados.

Com informações Portal R7