Folha Vitória "Ele não tinha envolvimento com tráfico", desabafa mãe de cadeirante morto em Cariacica

"Ele não tinha envolvimento com tráfico", desabafa mãe de cadeirante morto em Cariacica

Leonardo tinha 16 anos e, depois de um acidente de moto, fazia fisioterapia para recuperar os movimentos

Folha Vitória
Foto: Acervo pessoal
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Marinete Gastaldi, mãe do adolescente Leonardo Gastaldi, 16 anos, cadeirante que foi assassinado em frente de casa com 17 tiros, garantiu que o filho não possuía nenhum envolvimento com o tráfico de drogas.

"Acho uma covardia, um menino de 16 anos, na cadeira de rodas que não tinha movimento dos pés. Não tinha como se defender, morreu com 17 tiros, só na parte do pescoço", desabafou Marinete.

Além disso, Marinete chegou a pedir demissão do emprego para poder cuidar do filho e um dos planos da família era se mudar da região onde vivia. 

O caso 

Em outubro de 2020, Leonardo furtou uma moto para ir a um baile funk com amigos. No caminho, ele bateu em um poste e ficou paraplégico. Ele morava na Serra, mas foi para Nova Canaã, em Cariacica, com o pai para fazer fisioterapia na quarta-feira (3). 

Na quinta-feira (4), enquanto estava na frente da casa do pai, na cadeira de rodas, foi abordado por criminosos que pediram para ver o celular dele. Foi quando viram que ele estava em um grupo das redes sociais que fazia alusão ao tráfico de Hélio Ferraz, bairro da Serra. Ele foi morto na hora, com 17 tiros. 

Últimas