Folha Vitória Entenda a doença rara de Céline Dion, que causa rigidez nos músculos

Entenda a doença rara de Céline Dion, que causa rigidez nos músculos

A síndrome de stiff-person é uma doença neurológica, autoimune e sem cura. Segundo especialistas, afeta principalmente mulheres

Folha Vitória
Foto: Reprodução / Instagram
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

No início do mês de dezembro, a cantora Céline Dion, 54 anos, revelou em seu perfil no Instagram que foi diagnosticada com um doença rara: a síndrome de stiff-person também conhecida como síndrome da pessoa rígida.

Desde então, muitas pessoas têm se perguntado o que é esse problema. Entre as principais características, estão a perda da capacidade de falar e andar por conta da tensão dos músculos. 

> Quer receber nossas notícias 100% gratuitas pelo WhatsApp? Clique aqui e participe do nosso grupo de Saúde!

Por causa do problema, Celine precisou cancelar oito dos seus shows para o ano que vem, além de adiar outra parte deles para 2024.

No vídeo, ela explicou: "Fui diagnosticada com um distúrbio neurológico muito raro, chamado síndrome da pessoa rígida, que afeta uma em um milhão de pessoas. Embora ainda estejamos aprendendo sobre essa condição rara, agora sabemos que é isso que está causando todos os espasmos que tenho tido".

Saiba mais sobre a síndrome da pessoa rígida

Segundo o Manual MSD de Diagnóstico e Tratamento, a síndrome da pessoa rígida afeta o sistema nervoso central, porém apresenta manifestações neuromusculares. Portanto, causa rigidez muscular com piora gradual, começando no tronco e no abdômen. Com o passar do tempo, acaba afetando os músculos do corpo todo.

De maneira geral, a doença é mais comum entre mulheres. Muitas vezes acontece em pessoas com diabetes tipo 1, com tireoidite, ou certos tipos de câncer, incluindo câncer de mama.

Como não tem cura, o tratamento tem por objetivo aliviar os sintomas e pode incluir diazepam (um sedativo), baclofeno (um relaxante muscular) e corticosteroides.

Diagnóstico de síndrome da pessoa rígida

Ainda de acordo com o Manual MSD, o diagnóstico é feito por meio de exames de imagem e de sangue. A suspeita começa a partir do quadro clínico, com queixas do paciente.

Só aí, então, são indicados os exames específicos para confirmar ou descartar a suspeita. 

LEIA MAIS: Chegou o verão: pernilongo e mosquito da dengue; como identificar?

*Com informações do Estadão Conteúdo

Últimas