Folha Vitória Gripe H3N2 pode ser mais grave em crianças de 0 a 2 anos

Gripe H3N2 pode ser mais grave em crianças de 0 a 2 anos

Para evitar a contaminação pela gripe, devem ser tomados alguns cuidados com a higiene como lavar bem as mãos com água e sabão ou utilizar álcool 70%, além de evitar contato com pessoas doentes e aglomerações

Foto: Divulgação
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Apesar de incomum durante o verão, o Brasil enfrenta uma epidemia de gripe H3N2 causada pelo vírus Influenza A. Entre a população de maior risco estão as crianças de 0 a 2 anos e os idosos acima de 60 anos.

De acordo com o pediatra Dr. Rômulo Felix do Rosario, especialmente nessas faixas etárias, a doença pode evoluir com complicações como a pneumonia viral ou bacteriana secundária à infecção viral.

“Quem está gripado deve observar os sinais de gravidade que indicam complicações como mais de três dias consecutivos de febre ou temperatura corporal maior que 39 graus, persistente por mais de 24 horas, dificuldade para respirar, respiração muito rápida ou prostração. Mesmo se a criança não apresentar febre, com qualquer um desses sinais de perigo, os responsáveis devem procurar imediatamente o atendimento médico”, disse Dr. Rômulo.

Para evitar a contaminação pela gripe, devem ser tomados alguns cuidados com a higiene como lavar bem as mãos com água e sabão ou utilizar álcool 70%, além de evitar contato com pessoas doentes e aglomerações.

“É importante que os pais diferenciem o resfriado da gripe. Geralmente, os infectados com a gripe têm febre mais alta, prostração e dores no corpo mais intensas. Caso apresente algum desses sinais, os pais devem ter uma atenção maior. Apesar da gripe ter um risco de complicação mais elevado que o resfriado, ainda assim o risco é baixo e não é necessário pânico diante dessa epidemia. Devemos manter a atenção”, destacou o médico.

De acordo com Dr. Rômulo, é importante estar com o calendário vacinal das crianças em dia, pois por meio das vacinas é possível reduzir o risco de contágio e complicações por doenças infectocontagiosas, como a pneumonia, por exemplo.

No verão também aumentam os casos de gastroenterite entre as crianças, causada especialmente por alimentos contaminados.

“Para prevenir a doença, é necessário lavar bem os alimentos antes de serem consumidos, bem como lavar as mãos, e evitar comer aqueles de procedência duvidosa ou que estragam facilmente, como a maionese e os molhos”, disse.

O pediatra destacou ainda um aumento considerável nessa época do ano de casos de desidratação e insolação, devido à longa exposição solar.

“Muitas vezes as crianças esquecem de tomar água enquanto estão brincando, por isso precisamos lembrá-las frequentemente de ingerir líquidos e evitar a exposição ao sol no período do meio do dia”, explicou.

Atendimento pediátrico gratuito em Vitória

Para tratar essas e outras doenças, a população de baixa renda da Grande Vitória vai receber atendimento pediátrico e de outras especialidades médicas, gratuitamente, no dia 15 de janeiro de 2022, das 9h às 17h, na Praça em frente à Catedral Metropolitana de Vitória.

Médicos pediatra, psiquiatra, infectologista, clínico geral, fisioterapeutas, enfermeiros e dentistas da Associação Cruz da Vida farão consultas durante todo o dia, mediante distribuição de senhas por ordem de chegada.

Últimas