Folha Vitória Mãe e filha assassinadas em Marataízes serão enterradas nesta sexta-feira

Mãe e filha assassinadas em Marataízes serão enterradas nesta sexta-feira

Elas foram mortas a facadas na noite de quarta-feira e o principal suspeito é o ex-namorado de Charlene, que está preso

Folha Vitória
Foto: Reprodução
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Os corpos de Charlene de Lenis Gonçalves e da filha, Ysaquiele Júnia Gonçalves, de 11 anos, serão enterrados na tarde desta sexta-feira (17). Elas foram mortas à facadas na noite de quarta-feira (15). O principal suspeito é o ex-namorado de Charlene, que está preso.

Durante a manhã, familiares das vítimas do assassinato, ocorrido em Marataízes, estiveram no Serviço Médico Legal (SML) de Cachoeiro de Itapemirim para fazer a liberação dos corpos.

Filha foi esfaqueada ao tentar defender a mãe

Na noite de quarta-feira, o suspeito, identificado como Michael Prates Garcia, de 31 anos, teria chegado na residência da vítima. Segundo a polícia, ele estava com uma faca de, aproximadamente, 40 centímetros de lâmina. O delegado acredita que ele já tinha a intenção de cometer o crime.

De acordo com a polícia, o suspeito pulou o muro da casa da vítima e se deparou com Charlene. Ele teria a golpeado e, em seguida, a filha apareceu para tentar ajudar a mãe. A menina de 11 anos também foi atingida. Uma testemunha chegou quando o criminoso já realizava o último golpe na vítima.

Mãe e filha foram socorridas e encaminhadas para um hospital. Charlene morreu logo em seguida. A filha ainda foi transferida para a Santa Casa de Misericórdia de Cachoeiro de Itapemirim, mas também não resistiu aos ferimentos e morreu.

Leia também: Jovem relata últimas palavras da mãe e irmã assassinadas: 'Eu amo vocês'

Segundo o delegado, Michael e Charlene tiveram um relacionamento amoroso por três anos. O casal morava em Cachoeiro, também no Sul do Estado.

A mulher teria sido agredida algumas vezes durante o relacionamento. Cansada da violência, ela decidiu se separar e se mudou para Marataízes, cidade onde ocorreu o crime.

Apesar dos relatos de agressões anteriores, o delegado afirma que não foram localizadas denúncias de agressão por parte da vítima. 

Últimas