Folha Vitória Morador tenta ajudar mulher baleada e é morto a tiros na porta de casa em Cariacica

Morador tenta ajudar mulher baleada e é morto a tiros na porta de casa em Cariacica

Jessé Albino Firmino, de 50 anos, foi abrir o portão para ajudar uma mulher que estava sendo perseguida por criminosos no bairro São João Batista

Folha Vitória
Foto: Reprodução TV Vitória
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Um autônomo de 50 anos foi assassinado na porta de casa com vários tiros, no bairro São João Batista, em Cariacica, na madrugada desta quarta-feira (03). De acordo com testemunhas do crime, ele foi mais uma vítima da violência do local,  que vem sofrendo com os conflitos do tráfico de drogas.

Jessé Albino Firmino era auxiliar de serviços gerais, mas depois que ficou desempregado se tornou autônomo e abriu uma venda na garagem de casa, segundo familiares. Todos os dias, por volta das 4h, ele acordava para atender as pessoas durante o dia e à noite. Na madrugada desta quarta-feira (3), Albino já estava acordado, quando uma mulher apareceu desesperada batendo no portão da casa dele pedindo ajuda. De acordo com moradores, ela estava baleada. O autônomo abriu o portão e foi surpreendido com vários tiros. De acordo com a perícia, ele foi atingido por 18 disparos. Ele não resistiu e morreu no local. 

Na hora do crime, a esposa da vítima estava dentro de casa e ficou desesperada. A residência ficou com marcas de tiros no portão e em uma das janelas.

A mulher baleada não é conhecida na região. Ela foi socorrida e levada para um hospital de Vitória. Em depoimento para a polícia, ela disse que estava sendo perseguida por cinco indivíduos fortemente armados.

Tiroteios

Segundo a polícia, o bairro vem sofrendo com os conflitos do tráfico de drogas. Moradores relatam constantemente barulhos de tiros. Inclusive, de acordo com eles, na noite de terça-feira (2) um outro tiroteio ocorreu no local.

Em nota, a Polícia Civil informa que o fato será investigado por meio do Departamento Especializado de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) e, até o momento, nenhum suspeito de cometer o crime foi detido. Para que a apuração fosse preservada, nenhuma outra informação foi repassada.

A PCES destaca que a população pode auxiliar na investigação por meio do telefone 181. O Disque-Denúncia é uma ferramenta segura, onde não é necessário se identificar para denunciar. Todas as informações recebidas são investigadas. As informações ao Disque-Denúncia ainda podem ser enviadas por meio do site, onde é possível anexar imagens e vídeos de ações criminosas. 

*Com informações da repórter Rafaela Freitas / TV Vitória

Últimas