Folha Vitória Morre aos 98 anos Erling Lorentzen, fundador da Aracruz Celulose

Morre aos 98 anos Erling Lorentzen, fundador da Aracruz Celulose

Empresário norueguês teve

Folha Vitória
Foto: Jornal VG
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

O empresário norueguês radicado no Brasil, Erling Lorentzen, de 98 anos, morreu nesta terça-feira. A causa não foi divulgada. O empresário fundador da Aracruz Celulose, hoje Suzano, morreu em Oslo.

O falecimento foi lamentado por autoridades do Estado. Por meio do Twitter, o governador Renato Casagrande Casagrande exaltou o espírito empreendedor do empresário. "O ES perdeu hj uma das suas principais personalidades".

Quem também se pronunciou nas redes foi o ex-governador Paulo Hartung. "O exemplo de Lorentzen de empreendedorismo, busca por sustentabilidade, visão empresarial, representa um marco importante não só do setor, mas também para o Brasil e para a indústria mundial de celulose", disse.

A Findes emitiu uma nota de pesar, assinada pela presidente Cris Samorini, em que destaca "uma das maiores lideranças industriais do Espírito Santo". 

"A Federação das Indústrias do Espírito Santo manifesta profundo pesar pelo falecimento do Sr. Erling Lorentzen, uma liderança empreendedora visionária, inovadora e obstinada. Criador da Aracruz Celulose, hoje Suzano, considerada a primeira fábrica de celulose em linha do país, manifestava preocupações socioambientais já nos anos 70. Foi uma das maiores lideranças industriais do Espírito Santo e do mundo. Sua trajetória permanecerá para sempre como exemplo de inspiração para as atuais e futuras gerações. Nossos sentimentos aos amigos e familiares".

História

Erling Lorentzen nasceu em Oslo, na Noruega, em 28 de janeiro de 1923. Aos 17 anos, lutou na Segunda Guerra contra os alemães. Em 1945  foi aceito na Universidade de Harvard, nos Estados Unidos. Casou-se com a princesa Ragnhild da Noruega, a filha mais velha do rei Olavo V e da princesa Marta da Suécia, em 1953, com quem teve três filhos, Haakon, Ingeborg e Ragnhild. Veio ao Brasil no mesmo ano em decorrência dos negócios da família no segmento de transporte marítimo. Chegando aqui adquiriu, da norte-americana Esso, a distribuidora de gás de cozinha. Em seguida abriu sua própria companhia de navegação, a Norsul.

Em 1972, Lorentzen fundou a Aracruz Celulose, que se tornou mais tarde a primeira empresa do setor florestal no mundo a estar na lista de empresas do Índice Dow Jones de Sustentabilidade (DJSI World) 2007/2008, da Bolsa de Valores de Nova York. Em 1° de setembro de 2009 a empresa se fundiu com a VCP para formar a Fibria, tornando-se líder global no mercado de celulose e com receita líquida anual estimada em R$ 6 bilhões. Em 2018, a Suzano Papel e Celulose comprou a Fibria por R$ 65 bilhões. 

Os hobbies de Lorentzen eram velejar e a marcenaria. Outro era andar a cavalo em Pedra Azul, onde tinha uma propriedade. O empresário trouxe, inclusive, para o País cavalos da raça norueguesa fiording.

Últimas